Avalista: o que é e qual é sua utilidade?

Atenção! A Provu não solicita pagamento antecipado para a liberação do Provu Empréstimo Pessoal.

Avalista: o que é e qual é sua utilidade?

Publicado em 02 nov, 2021

Atualizado em 25 jul, 2022

1 min de leitura

Link Copiado!

Se você já passou ou conhece alguém que passou pela situação de fazer um empréstimo ou um financiamento, sabe que a existência de um fiador ou de um avalista pode acelerar e auxiliar o processo, certo?

Muitas vezes, por aumentar a credibilidade de todo o processo e dar uma maior segurança de que as parcelas serão pagas, o avalista e o fiador podem ser muito úteis quando você precisa de um empréstimo ou de um financiamento.

Mas você sabe exatamente o que é um avalista? Qual a diferença entre um avalista e um fiador? Nós preparamos este post para te explicar melhor o assunto. Continue com a gente!

O que é avalista?

O avalista é uma espécie de “garantidor” de que um valor requerido em um empréstimo ou em um financiamento será pago. Ele também assina um título de crédito, que é um documento o qual declara a relação jurídica dele com o contrato.

Além disso, ele é a pessoa que aceita se tornar responsável pelo pagamento do empréstimo ou do financiamento caso o tomador principal não consiga arcar com o valor. 


Ainda, em um cenário onde o tomador tiver pago algumas parcelas, mas não conseguir pagar o restante, o avalista se torna responsável por quitar as parcelas restantes ou cobrir os pagamentos atrasados.

Para que serve o avalista?

O avalista é utilizado como uma garantia em transações financeiras, do tipo de empréstimos ou financiamentos, como mencionado acima. 

Sua utilidade consiste na agilidade do processo de conclusão do contrato financeiro, seja esse conseguir um empréstimo ou iniciar um financiamento. 

Isso porque, algumas vezes, os processos que contam com uma terceira pessoa de segurança, não levam ao aumento de taxas que, caso contrário, podem ultrapassar o valor original da operação.

Quem pode se tornar um avalista?

Para ser um avalista, a pessoa não necessariamente precisa ser um membro da família ou ser um amigo. Porém, algumas instituições podem pedir por isso, especificamente.      

No entanto, o que define essa possibilidade é, na verdade, uma série de critérios burocráticos. Confira quais são eles:

  • Ter 18 anos ou mais;
  • Possuir um bom histórico de crédito;
  • Ter renda suficiente para arcar com as parcelas do contrato;
  • Manter um imóvel quitado em seu nome e não residir no mesmo.

O banco também pode exigir os seguintes documentos:

  • RG;
  • CPF;
  • CNH;
  • Comprovante de Residência;
  • Comprovante de renda.

Vantagens

Ter um avalista junto a suas negociações pode ser vantajoso para acelerar o processo de liberação da quantia, e também para aumentar a credibilidade da pessoa que pede pelo empréstimo ou financiamento.

É, inclusive, vantajoso para a empresa que faz as negociações ter um avalista, porque é uma garantia de que a quantia será quitada, mesmo que o tomador não esteja conseguindo, por alguma razão, arcar com o valor negociado. 

E, como mencionado acima, ele pode deixar a operação mais barata porque, caso contrário, algumas instituições financeiras podem pedir por taxas extras além das da quantia original negociada.

Desvantagens

A desvantagem de ter uma pessoa avalista decai sobre o próprio avalista que se dispôs a arcar com a quantia negociada porque, caso ele também não consiga arcar com o valor, pode ficar negativado, com a dívida em seu nome e receber cobranças judiciais. 

Avalista e fiador, qual é a diferença?

Embora tenham funções parecidas, o avalista assume apenas o valor integral da quantia inicial negociada.

O que significa que não irá arcar com os juros das parcelas, nem com multas relacionadas aos pagamentos.

Por outro lado, o fiador assume todos os valores envolvidos, desde a quantia inicial, às multas e juros das parcelas negociadas.

Outra coisa interessante é que ambos, muitas vezes, têm de apresentar um imóvel no nome, mas o avalista não pode morar nesse imóvel e o fiador pode.

Já em relação à maneira de cobrar a dívida, o banco só pode cobrar a dívida do fiador depois de várias tentativas de contato e de pagamento com o tomador. 

Com o avalista não existe essa regra: logo após a inadimplência da primeira parcela, já é permitido o contato com ele.

Em relação à maneira de quitar a dívida, o fiador pode colocar um patrimônio como forma de pagamento, mas o avalista não tem a mesma permissão. E então, você sabia tudo isso sobre o avalista? Entendeu a diferença entre um ele e um fiador? Conta pra gente! 

Se tiver alguma dúvida, é só deixar aqui embaixo nos comentários. Vamos ficar felizes em te responder! E se quiser continuar lendo sobre finanças e dicas de educação financeira, aproveite para navegar no Blog da Provu!

Escrito por: Provu

A Provu surgiu sob o nome de Lendico, mas em 2021 mudou de marca por uma decisão estratégica de reposicionamento e maior alcance dos produtos financeiros. Com essa transformação, trazemos um novo conceito, com a premissa de oferecer mais soluções para os brasileiros mantendo a eficiência, reputação e história da Lendico.

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo

Associações

Prêmios

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.

 

Desde 2015 revolucionando o acesso ao crédito, a Provu é uma financeira com serviços totalmente digitais que vive o Brasil e o sonho dos brasileiros. A empresa tem vocação humana, enxerga as necessidades e entende os desejos de cada pessoa, com o propósito de amparar os brasileiros com soluções para que realizem planos, saiam da dívida cara e tenham poder de compra.