Como aumentar o score? Confira essas dicas

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Como aumentar o score? Confira essas dicas

Por Provu

5 Minutos

Publicado em 17 set, 2021

Atualizado em 17 set, 2021

5 min de leitura

Link Copiado!

Quem já tentou pedir um cartão de crédito ou comprar um carro, deve ter ouvido falar sobre “score de crédito”. Ele, nada mais é do que uma pontuação que indica, com base em diversos critérios, se você é um bom ou mau pagador e se deve ter acesso ao crédito ou não. Com o seu score, qualquer instituição pode ver se você tem grandes chances de dar calote na empresa ou se endividar ao longo dos anos. 

Essa pontuação é essencial para movimentar a economia, já que possibilita a compra e venda de diversos valores. Mas, afinal: 

O que é score de crédito? 

O score é uma pontuação que pode ir de 0 a 1000, utilizada pelos birôs de crédito para indicar às empresas sobre o nível de confiança para emprestar dinheiro ou oferecer outras formas de crédito a uma pessoa. 

Não existe apenas um tipo de score. Cada birô de crédito ou outros tipos de empresa pode ter seu próprio score. Mesmo que tenham semelhanças entre si, não são iguais. 

O cálculo do score

Apesar de não sabermos as regras de cálculo de cada birô, existem alguns fatores que são mais conhecidos. O score é o relacionamento do cliente com o mercado. Sendo assim, as empresas coletam dados e calculam o score com base em algumas estatísticas. 

A pontuação foi atualizada de tempos para cá e, quem deseja consultá-lo deve baixar o app do Serasa. A principal alteração no modelo de cálculo é que no Score 2.0 as informações do Cadastro Positivo representam 62% da pontuação (no Score 1.0 o peso era de 26%). As dívidas em aberto e regularizadas nos últimos cinco anos respondem por 19% (no anterior representavam 57%). O Score é dividido em pontuação e categoria:

  • Muito bom: entre 701 e 1000 pontos
  • Bom: score entre 501 e 700 pontos
  • Regular: entre 301 e 500 pontos 
  • Baixo: Score entre 0 e 300 pontos

 Dicas para aumentar o score

01 – Limpe seu nome, caso tenha dívidas 

Se você deseja aumentar a pontuação do seu score, limpar o nome é essencial. Ou seja, se você tem dívidas atrasadas, tente negociar com os credores e pagar todas elas (essa deve ser uma prioridade). 

Se você não fizer isso, dificilmente conseguirá mudar a visão que o mercado tem sobre o seu cadastro. Vale lembrar que o score não vai subir assim que você pagar as dívidas, então é necessário ter paciência para mostrar que seu comportamento mudou para melhor e agora é confiável para receber empréstimos. 

02 – Utilize o Cadastro Positivo  para aumentar seu Score

O uso do Cadastro Positivo pode impactar a sua pontuação. A ferramenta reúne informações de como têm sido pagos empréstimos, crediários e financiamentos. Além disso, é possível incluir o pagamento de contas de consumo como internet, água e luz. 

03 – Atualize seus dados nas agências de crédito

Quanto mais exatas e corretas forem as informações básicas sobre você nas agências de crédito, mais confiável será o seu cadastro. Portanto, atualize sempre a idade, endereço e telefone para que as instituições julguem seu perfil ainda mais confiável. 

04 – Pague as contas em dia para aumentar seu Score

Se for possível, incluir as contas em débito automático é uma ótima forma de não esquecer de pagar e ficar pendente com as empresas. Hoje, a maioria das companhias oferecem a facilidade de colocar o pagamento de dívidas de forma automática na sua conta para que você não esqueça e fique negativado. 

05 – Evite solicitar cartão de crédito, abrir crediários em lojas ou abrir conta em bancos sem necessidade

Muitas pessoas não sabem, mas ao solicitar um cartão de crédito e fazer com que a empresa consulte o seu nome, oa sua pontuação diminui. Por isso, evite solicitar cartões de crédito sem necessidade e torne-se um bom pagador perante a visão de quem você precisa de um empréstimo. 

06 – Coloque fim aos “maus hábitos”  para aumentar seu Score

Alguns hábitos podem ajudar sua vida financeira quando são revistos, como: 

  • Reduzir gastos desnecessários; 
  • Ter uma reserva de emergência;
  • Fazer o orçamento e a lista das suas dívidas;
  • Ser sincero e claro com as suas informações ao pedir crédito;
  • Tentar pagar o valor total das faturas do cartão de crédito. 

Agora que você conheceu essas dicas de como ter uma pontuação alto, compartilhe este post para que outras pessoas tenham acesso às informações. Continue navegando pelo Blog da Provu para aprender ainda mais sobre o mercado financeiro.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Provu

Comentários (1)
Usuário
Provu
27/06/2022
Pq eu não estou conseguindo fazer um empréstimo?

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.