Crédito pessoal para investir: vale a pena?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Crédito pessoal para investir: vale a pena?

Por Provu

3 Minutos

Publicado em 22 out, 2019

Atualizado em 22 out, 2019

3 min de leitura

Link Copiado!

Procurando por empréstimo para investir? Primeiro, você deve saber que tipo de investimento deseja fazer: pessoal ou em seus negócios. Ou até mesmo, procurando capital para iniciar o seu próprio negócio. Planejamento financeiro nessa hora é o segredo para descobrir se o crédito pessoal valerá a pena ou não. Contudo, é importante saber onde você investirá também!

A Provu lista abaixo alguns pontos que podem ajudá-lo nessa escolha: 

Afinal, qual o seu objetivo?

Primeiro, antes mesmo do planejamento financeiro, você deve saber qual o seu objetivo para com o crédito pessoal. Isso te ajudará, não apenas no foco do seu plano de negócios, mas também na definição de qual será a melhor linha de crédito.

Crédito pessoal para investir em novos negócios?

Então, o seu foco é abrir o seu próprio negócio? Caso ainda não tenha CNPJ ou MEI (Microempreendedor Individual), o crédito pessoal será a melhor saída. Dependendo do investimento que deseja fazer, uma linha de crédito pessoal com garantia (saiba mais aqui) pode atender bem os seus objetivos. Já se o investimento para o capital de giro for relativamente baixo, o empréstimo oferecido pela Provu, por exemplo, pode ser mais interessante.

E se eu investir em ações?

Esse tópico é delicado porque investir em ações requer mais do que dinheiro. Caso tenha interesse em ingressar no mercado de ações e entender como funciona a rotina de uma bolsa de valores, como a BMF&Bovespa (Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo), indicamos que faça o curso gratuito e para iniciantes que a instituição oferece. Mas fique atento, pois se alguém lhe ofertar um investimento com retorno financeiro alto e sem riscos, saiba que isso é uma mentira! Logo, tenha cuidado com golpistas.

Então, vale a pena?

Quando partimos para o nossos próprio negócio todos os esforços valem a pena. Ainda mais quando vemos o nosso sonho do negócio próprio se tornar uma realidade. Contudo, como dissemos, se for tomar um crédito pessoal para usar em investimento no mercado de ações tenha cautela e saiba onde está pisando.

Lembre-se sempre do mais importante: o CET

Independente da linha de crédito pessoal que for escolher, atenção no Custo Efetivo Total (CET). Afinal, do que adianta uma taxa de juros baixa se com todas as tarifas, o CET ficará o dobro?

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.