Crédito pessoal em novos negócios é vantajoso?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Crédito pessoal em novos negócios é vantajoso?

Por Provu

1 Minuto

Publicado em 31 jul, 2016

Atualizado em 28 jun, 2022

1 min de leitura

Link Copiado!

Pensando em tomar crédito pessoal para investir em novos negócios? Quase todos possuem o sonho do negócio próprio e depender cada vez menos das fontes tradicionais de renda. Mas como dar os primeiros passos nessa área sem capital, certo?

Para empreender, basta ter o sonho e algumas dicas essenciais para fazerem o seu negócio sair do plano das ideias e se transformar em realidade. A Provu selecionou alguns ponto para ajudá-lo na escolha certa!

1. Qual a sua ideia?

Empreender é um grande desafio, porém não é impossível! Quando acreditamos e temos paixão pelo que fazemos, o processo fica ainda mais prazeroso e gratificantes. Logo, saiba em qual mercado deseja investir e qual o negócio dos seus sonhos. Atente-se sempre às novidades que o mercado apresenta e o que os concorrentes tentam melhorar cada dia mais. A sua ideia pode não ser inovadora, porém pode ser a solução que muitos procuravam e não sabiam por onde começar.

2. Planejamento é essencial!

É isso, o planejamento é essencial! Nunca é demais e quando é feito se tem mais chances de economizar porque você consegue mapear todos os gastos do seu novo negócio ao longo do mês. Quer lucrar de verdade? Mantenhas as despesas anotadas.

3. Pensando em crédito pessoal?

O crédito pessoal pode ser o ideal para você dar os primeiros passos com o seu negócio. Quando estamos na fase inicial e ainda não somos MEI (Microempreendedor individual) ou nem temos CNPJ, crédito pessoal como pessoa física é a única saída.

4. Escolhi crédito pessoal, mas qual a melhor opção?

Optou por crédito pessoal? Agora é a hora de ponderar qual se encaixa melhor para o seu bolso e sonho. Precisa de uma quantia alta? Talvez crédito pessoal com garantia seja melhor que o consignado, por exemplo. Para ajudá-lo nas escolhas, produzimos um post com todas as nossas indicações sobre cada modalidade. Leia mais aqui.

5. Inovação como aliada!

O mundo está sempre mudando, quase todos os dias temos grandes novidades que podem ser aplicadas em seu negócio. O exemplo disso é o dinheiro físico. É muito mais prático, e seguro, levarmos o cartão de crédito/débito em nossas carteiras do que carregarmos dinheiro, certo? Por isso, para evitar a perda de vendas (ou até pior, o fiado), procure uma solução mais em conta para você e seu negócio, como a maquininha de cartão da payleven, que foi a primeira maquininha móvel sem mensalidades do Brasil, por exemplo.

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Empréstimo
Cálculo de empréstimo consignado: entenda como funciona

Se você já precisou de um dinheirinho a mais para realizar algo, possivelmente já pensou em tomar um e...

03 mai, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Quem pode fazer empréstimo?

O empréstimo é uma boa opção para aqueles que desejam trocar uma dívida cara por outra mais barata, ou...

10 mar, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Vale a pena pedir um empréstimo para dívidas do começo do ano?

Todo novo ano traz consigo alguns impostos como IPTU, IPVA e outros débitos, como material escolar. Ma...

06 jan, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.