Atenção! A Provu não solicita pagamento antecipado para a liberação do Provu Empréstimo Pessoal.

Qual a diferença entre consórcio e financiamento?

Publicado em 23 nov, 2021

Atualizado em 25 jul, 2022

1 min de leitura

Link Copiado!

Consórcio ou financiamento? Se você já precisou de dinheiro para comprar algum bem de alto valor, como uma casa ou carro, certamente já se fez essa pergunta. 

A verdade é que, no geral, qualquer pessoa não vai te aconselhar a entrar em nenhum dos dois, isso porque ambos cobram taxas que fazem você pagar muito mais caro pelo que deseja. 

Mas, se você está disposto a encarar juros ou outras taxas, o que vai mostrar qual das opções é a melhor será o tempo que você está disposto a esperar. 

O que é um consórcio e como funciona?

O consórcio é uma forma de “poupança”. Ele é baseado na união de pessoas físicas e/ou jurídicas que estão em busca de “guardar” um dinheiro para conquistar algo específico. 

Portanto, se você não tem urgência em adquirir um imóvel ou veículo, pode ser uma boa opção. 

Geralmente, um consórcio possui uma administradora por trás, que gerencia todas as partes burocráticas do processo. Depois que você tem uma carta de crédito liberada, é possível realizar a compra e continuar pagando as parcelas até a quitação. 

Em um consórcio, você e mais algumas pessoas que querem comprar um carro, por exemplo, são reunidas em um grupo pela administradora, e devem contribuir mensalmente com um valor suficiente para comprar um bem por mês. 

Vale lembrar que existem consórcios com um número muito maior de pessoas, o que permite a compra de mais de um bem e faz com que várias pessoas sejam contempladas em um mesmo mês, por exemplo.

Como sou contemplado no consórcio? 

Todos os meses acontecem sorteios realizados nas assembleias. Ou seja, a assembleia é um encontro para que os membros do grupo saibam como andam os negócios e também para a realização de lances.

Em cada evento deste, um participante é contemplado e recebe sua carta de crédito de acordo com o valor contratado. O lado negativo é que você continua pagando as mensalidades até o fim do prazo do plano. 

Além do sorteio, você pode obter a carta de crédito antes do final do prazo. Como? Ofertando os lances, que são valores proporcionais a uma parte do bem. Vale ressaltar que o valor varia conforme as regras da administradora do consórcio.

O que é financiamento e como funciona?

O financiamento é uma operação financeira que tem como finalidade o parcelamento de um produto ou serviço para um consumidor que não é capaz de adquiri-lo se fosse necessário pagar à vista. 

Como de costume, essa ação possui uma cobrança de taxa de juros sobre o valor inicial. Ou seja, a instituição financeira libera o empréstimo do valor necessário para compra do bem e você paga em parcelas. 

Vale lembrar que é importante sempre observar e analisar os juros, pois às vezes a cobrança dessas taxas é tão alta que solicitar o financiamento se torna um prejuízo. 

Para o cálculo dos juros, os bancos geralmente seguem duas tabelas: 

  • SAC: quando a amortização acontece de maneira constante, ou seja, você pode pagar as últimas parcelas com valor menor;
  • Tabela Price: o valor das prestações é constante, já com acréscimo de juros e com cotas de amortização. 

Quais são as principais diferenças entre consórcio e financiamento?

1. Juros

Quando falamos em juros e correções monetárias, precisamos sempre lembrar do financiamento. Isso porque os bancos e demais instituições não cobram isso em consórcios. 

No consórcio, os membros pagam a taxa de administração, o fundo de reserva e o seguro, que no final das contas funcionam como os juros. 

Além disso, é possível que as prestações sejam reajustadas de acordo com o previsto em contrato caso o valor do imóvel sofra uma grande oscilação. 

2. Burocracia

Se você optar pelo financiamento, certamente precisará apresentar diversos documentos para aprovação do crédito, como comprovante de renda e endereço, por exemplo. Dependendo da instituição que você escolher, pode ser até que seja exigida uma renda mínima e máxima conforme o valor do imóvel. 

Se você é negativado, também corre o risco de não ser aceito em algumas instituições. 

Em contrapartida, no consórcio você só precisa mostrar documentos e comprovantes para ter os recursos financeiros liberados após ter sido contemplado. 

3. Prazos

O prazo do consórcio imobiliário, por exemplo, gira em torno de 15 anos. Já o financiamento pode durar até 35 anos. 

4. Formas de aquisição do bem

O consórcio exige que você espere ser contemplado no sorteio para obter sua carta de crédito para ter direito ao bem. O financiamento, por sua vez, permite que o cliente retire o imóvel de modo imediato ou, se o imóvel for comprado na planta, é só aguardar a entrega das chaves. 

Quais são as vantagens de cada um?

Vantagens do consórcio:

  • Há possibilidade de desistência e o dinheiro de volta (com descontos e multas);
  • Não exige valor de entrada;
  • Não tem taxa de juros;
  • Tem parcelas menores e o valor total mais baixo;
  • Possibilidade de começar pagar parcelas mais baixas no início (considerando parcelas mais altas após a contemplação). 

Vantagens do financiamento:

  • Prazos mais longos, de até 35 anos (financiamento imobiliário) e 5 anos (financiamento de veículos);
  • Taxas baixas, especialmente em tempos de Selic na mínima histórica;
  • Indicado para quem quer receber o bem de imediato;
  • É possível contratar uma parcela que caiba no orçamento. 

Mas afinal, o que vale mais a pena?

Antes de escolher o que mais vale a pena, é importante entender a sua situação financeira e seus objetivos a curto, médio e longo prazo. 

Se você não tiver urgência para receber o bem, o consórcio é o mais recomendado, já que é voltado para pessoas que estão pensando a longo prazo. 

Agora, se você quer se mudar para o imóvel ou comprar o seu carro o quanto antes, o ideal seria o financiamento, mas é preciso estar consciente de que você pagará taxas e juros sobre o valor do bem adquirido. 

O empréstimo pessoal também pode ser uma forma de conseguir adquirir um bem para o qual você não tem o valor agora. Acesse nosso site e faça uma simulação gratuita. 

Por isso, a conclusão é que tudo vai depender dos seus objetivos, orçamento atual e planejamento financeiro. Continue navegando no Blog da Provu para entender ainda melhor sobre o mundo das finanças. 

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Pri da Provu

Meu nome é PRI, e eu sou a nova assistente virtual da Provu! Aqui no blog da Provu e nas nossas redes sociais eu vou falar dos mais variados assuntos, e através do WhatsApp, Chat do site e telefone da Provu, eu vou: 👉 Ajudar a baixar o boleto das parcelas do Provu Empréstimo e Provu Boleto Parcelado 👉 Dar suporte no refinanciamento do seu contrato do Provu Empréstimo 👉 Esclarecer tudo que você precisa saber sobre o Provu Empréstimo e Provu Boleto Parcelado 👉 Dar suporte em negociações; E muito mais! Quer me conhecer mais? Acesse o Blog da Provu. E se quiser bater um papo comigo, é só acessar nosso WhatsApp, chat do site ou telefone!

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Prove realizar organização financeira!

Insira seu e-mail para receber as melhores dicas para o seu bolso:

Associações

abcd-logo

Prêmios

premio-cliente-sa

Selos

selo-empresa-neutra-de-carbono

Parceiros de Cobrança

kitei-logomhFlores-logoserasa-logo

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 4,45% a.m. (68,62% a.a.) até 11% a.m. (249,85% a.a.), e o CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 4,79% a.m. (76,78% a.a.) até 11,37% a.m. (270,87% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 9, 12, 18, 24 ou 36 meses.

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 4,45% a.m.; 68,62% a.a.; CET 75,53% a.a.; parcelas: R$ 757,37; IOF: R$ 206,42; valor total: R$ 13.632,57. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.