Dívidas: como voltar sem elas das férias?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Dívidas: como voltar sem elas das férias?

Por Provu

1 Minuto

Publicado em 01 ago, 2016

Atualizado em 28 jun, 2022

1 min de leitura

Link Copiado!

Dívidas são sinônimos de pesadelos para todos. Enquanto a maioria dos pais celebra o retorno dos filhos à rotina escolar, alguns começam a organizar as tão desejadas, e merecidas, férias! Para aqueles sem planejamento financeiro, as férias também funciona como um sinônimo para dívidas. Porém, como fazer com que isso não aconteça mais?

A Provu indica alguns pontos essenciais para se planejar melhor para os dias de folga:

1. Qual o orçamento disponível?

Antes de sair comprando passagens áreas em promoção e, quem sabe, moedas estrangeiras também, você precisa se planejar. Qual o orçamento disponível? Dessa quantia disponível, quantos dias de viagem você conseguiria bancar? Cinco dias? 13? Duas semanas? Entender o orçamento disponível é necessário antes mesmo do planejamento.

2. Orçamento validado? É hora de planejar!

O orçamento foi revisado e você consegue bancar a sua viagem dos sonhos? Maravilhoso! Agora é hora de se planejar, pois como já devem saber, sem planejamento, você perde muito mais dinheiro do que gostaria. Coloque uma meta diária do que você usará, por exemplo R$ 100/dia. Isso te ajudará a montar o roteiro da sua viagem, sem que precise de dinheiro extra para a viagem. Ou seja, o seu orçamento por dia será a quantia que estabelecer. Caso ela acabe antes, é interessante poupar o resto do dia para o orçamento final não seja prejudicado.

3. Em busca do pacote dos sonhos!

Para evitar dívidas desnecessárias durante a sua viagem, é essencial que você faça uma busca pelo menor preço. Procure na internet e também em locais que façam a venda de pacotes de viagens e tente barganhar um desconto, com o pagamento à vista, por exemplo. Viajar com pelo menos as passagens (seja de avisão, navio ou ônibus) quitadas já passa uma segurança, sem contar que é uma dívida a menos para pagar na volta.

4. Use o programa de milhas do cartão de crédito!

Se as suas passagens são áreas, você pode usar o programa de milhas, oferecidos pelos principais cartões, a fim de conseguir um desconto nelas. Ou até mesmo de graça! Mas lembre-se, o programa de milhas não pode ser tornar uma desculpa recorrente para o uso desse aditivo e, muito menos, na aquisição de novas dívidas!

5. Tome cuidado com o cheque especial e rotativo do cartão!

Semana passada, falamos sobre o aumento da taxa de juros do cheque especial (leia mais aqui). Essas são as duas linhas de crédito pessoal mais caras do mercado. Por isso, se for viajar e pretende usar o cartão de crédito, tome cuidado com o crédito rotativo. Para isso, caso tenha mais de um cartão de crédito, leve apenas um.

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.