Empréstimo com agiota: 5 motivos para não fazer um

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Empréstimo com agiota: 5 motivos para não fazer um

Por Maria Beatriz Oliveira

6 Minutos

Publicado em 27 jun, 2018

Atualizado em 27 jun, 2018

6 min de leitura

Link Copiado!

Tomar um empréstimo com agiota é perigoso, ilegal e traz riscos a você e a sua família. Por isso, sempre fuja dessa prática.

Segundo uma pesquisa do IBGE, 6 milhões de pessoas pediram um empréstimo na pandemia da COVID-19 e, dentre elas, 801 mil não conseguiram a liberação do crédito

Em momentos de crise financeira e dificuldades, é comum que muitos se vejam desesperados para obter dinheiro e poder pagar suas dívidas ou até mesmo as despesas básicas. 

Contudo, como solicitar um empréstimo em uma instituição financeira séria sempre exige uma análise de crédito, algumas pessoas pensam que recorrer a agiotas pode ser a única solução para obter o dinheiro e resolver seus problemas.

Neste artigo, você vai conferir por que você deve fugir desse tipo de crédito e como fazer para obter um empréstimo de forma legal, com taxas justas e sem complicação. 

Acompanhe!

O que é agiota?

Um agiota é qualquer pessoa que oferece um empréstimo sem ter uma empresa autorizada pelo Banco Central, como um banco ou uma correspondente bancária. 

Ainda, segundo o dicionário, o agiota é alguém que empresta dinheiro a um juros muito além do previsto legalmente.

Por isso, esse tipo de empréstimo é ilegal e não segue nenhuma regra. No entanto, por não estarem dentro da lei, muitas vezes os agiotas fazem ofertas tentadoras que prometem dinheiro rápido, sem comprovação de crédito e sem nenhum contrato.

Assim, muitas pessoas que estão em situação delicada e não conseguem crédito consideram essa opção sem pensar muito nas consequências, que podem ser bem mais graves do que ter um nome sujo, por exemplo.

É crime pegar empréstimo com agiota?

Embora a prática de agiotagem seja considerada um crime pela Lei nº 7.492, pegar um empréstimo com um agiota não é. Contudo, de maneira nenhuma isso significa que está tudo bem recorrer a esse tipo de crédito.

Afinal, esse tipo de empréstimo envolve diversos riscos físicos e materiais e, por ser uma prática ilegal, não há apoio de nenhum órgão fiscalizador.

Na sequência, você irá conferir alguns desses riscos. Continue com a gente!

5 motivos pelos quais você nunca deve tomar empréstimo com agiota

Tomar um empréstimo com agiota é uma prática perigosa e ilegal. Além disso, ao se ver lesado, o consumidor não pode recorrer a nenhum órgão de proteção e pode até mesmo ser ameaçado.

Confira a seguir 5 motivos para nunca tomar um empréstimo com agiota:

1. É ilegal

Um empréstimo com agiota acontece sem a autorização do Banco Central e, por isso, é uma prática ilegal de acordo com a Lei nº 7.492, cuja pena de reclusão varia de 2 a 8 anos com multa.

Assim, caso haja qualquer mudança nas regras ou caso aconteça algo e você não esteja de acordo, não há a quem reclamar por seus direitos.

Por isso, fique de olho: não existe agiota legalizado e todo processo de empréstimo desse tipo envolve riscos muito altos.

2. Juros e garantias abusivas

Como os agiotas geralmente lidam com as situações difíceis da vida das pessoas, eles aproveitam para enriquecer cobrando juros abusivos e muitas vezes nem respeitam as regras acordadas inicialmente.

E nesse sentido, a cobrança abusiva de juros também é um crime de acordo com a Lei nº 1.521. Para você ter uma ideia, enquanto as empresas de empréstimo legalizadas cobram menos de 10% ao mês para ceder um empréstimo, os agiotas cobram em média 40%.

Além do mais, embora geralmente não peçam comprovação de renda, eles pedem bens como imóveis ou veículos como garantia. Assim, por cobrarem um juros altíssimo, o risco de você não conseguir quitar a dívida e perder o bem aumenta bastante.

3. Sem fiscalização e sem regras

Já ouviu alguém contar que pegou um empréstimo com agiota e as regras mudaram do nada? Pois é… Esse é um cenário comum e, quando acontece, não há como reclamar. Afinal, não há contrato e nem regulamentação.

Ou seja, você pode até mesmo conseguir pagar o valor total da dívida e o agiota não devolver seu bem, caso você o tenha colocado como garantia.

4. Risco de golpes e origem duvidosa do dinheiro

Muitos agiotas usam o desespero de algumas pessoas até mesmo para aplicar golpes com notas falsas, por exemplo.

Outro ponto importante é que não é possível saber qual é a origem daquele dinheiro, que pode ser um dinheiro roubado, proveniente de lavagem ou de corrupção.

5. É perigoso para você e seus entes queridos

As consequências de pegar um empréstimo com agiota podem ser bem piores do que se enrolar com os juros ou ficar com o nome sujo nos serviços de proteção ao crédito, como acontece em empréstimos legais caso a pessoa não pague a dívida.

Isso porque, além do acordo inicial com o agiota poder ser quebrado a qualquer momento, assim como as taxas de juros, que podem mudar a qualquer hora, você e sua família correm riscos.

Diante do atraso das parcelas e não pagamento, muitos agiotas podem fazer ameaças à segurança física da vítima com agressões, perseguições e exposição. Esse tipo de ação força os tomadores de empréstimo a fazerem o que os agiotas desejam e não procurarem a polícia.

Faça um empréstimo com segurança na Provu

Precisa de um empréstimo seguro, prático e rápido? Na Provu, você faz um empréstimo pessoal totalmente online, com taxas justas, e divide em parcelas que cabem no seu bolso: tudo isso de forma legal e segura.

Nós somos uma correspondente bancária autorizada pelo Banco Central para conceder empréstimos e você faz tudo de forma rápida e fácil aí da sua casa. Isso mesmo: não precisa sair nem para assinar o contrato.

Além disso, ao assinar o contrato até as 13h de um dia útil, você tem o dinheiro na sua conta no mesmo dia

Gostou da  oportunidade? Então venha fazer uma simulação gratuita com a gente!

Escrito por: Maria Beatriz Oliveira

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Empréstimo
Cálculo de empréstimo consignado: entenda como funciona

Se você já precisou de um dinheirinho a mais para realizar algo, possivelmente já pensou em tomar um e...

03 mai, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Quem pode fazer empréstimo?

O empréstimo é uma boa opção para aqueles que desejam trocar uma dívida cara por outra mais barata, ou...

10 mar, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Vale a pena pedir um empréstimo para dívidas do começo do ano?

Todo novo ano traz consigo alguns impostos como IPTU, IPVA e outros débitos, como material escolar. Ma...

06 jan, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.