Empréstimo com garantia do FGTS: como funciona

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Empréstimo com garantia do FGTS: como funciona

Por Provu

3 Minutos

Publicado em 27 set, 2018

Atualizado em 27 set, 2018

3 min de leitura

Link Copiado!

Já ouviu falar no empréstimo com garantia do FGTS? Esta modalidade de crédito está disponível desde 26 de setembro de 2018. Na prática, ele a modalidade não é muito diferente do crédito consignado e, por isso, explicamos tudo  o que é importante saber antes da contratação para que você possa comparar com as outras linhas disponíveis no mercado.

Empréstimo com garantia do FGTS

O empréstimo que usa o FGTS como garantia nada mais é do que um tipo de consignado que é inicialmente ofertado somente pela Caixa Econômica Federal a trabalhadores com carteira assinada. Ele terá prazo máximo de 48 parcelas e as taxas de juros não serão superiores a 3,5% ao mês.

A decisão foi anunciada em 06 de dezembro de 2016, pelo Conselho Curador do FGTS, órgão colegiado que tem representantes dos empregados, trabalhadores e governo, e que é responsável por aprovar diretrizes a respeito do Fundo de Garantia.

No momento não é possível realizar a operação em outros bancos além da Caixa Econômica Federal, mas Banco do Brasil, Itaú e Santander vão debater o assunto com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) em uma reunião ainda em setembro.

O que precisa ser considerado

A proposta permite que quando o trabalhador pedir um empréstimo com garantia do FGTS, ele possa usar até 10% do seu Fundo como garantia e até 100% da multa rescisória que é paga pelo empregador em caso de demissão sem justa causa.

Só podem solicitar o crédito funcionários registrados pela CLT em uma empresa que tenha convênio com o banco, como o consignado tradicional. Os valores devem ser solicitados diretamente em uma agência da Caixa.

Entre as condições estão: possuir margem consignável disponível, trabalhar há pelo menos 12 meses na empresa e receber o salário na Caixa, através de Conta Corrente ou Conta Salário.

O valor das parcelas é descontado mensalmente do salário e, em caso de demissão, o banco pode bloquear o valor para quitar o empréstimo, afastando o risco de calote.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, o valor estará disponível para 36,9 milhões de trabalhadores e o Ministério do Trabalho espera a concessão de R$ 126 bilhões de empréstimos através da modalidade.

Empréstimo Pessoal sem garantias

Existem formas de empréstimo que não exigem garantia e que também podem ofertar boas taxas. No caso do empréstimo pessoal, por exemplo, o trabalhador consegue tomar crédito fazendo o pedido online. É muito rápido e fácil. Em poucos dias o dinheiro entra em sua conta após a contratação.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Empréstimo
Cálculo de empréstimo consignado: entenda como funciona

Se você já precisou de um dinheirinho a mais para realizar algo, possivelmente já pensou em tomar um e...

03 mai, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Quem pode fazer empréstimo?

O empréstimo é uma boa opção para aqueles que desejam trocar uma dívida cara por outra mais barata, ou...

10 mar, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Vale a pena pedir um empréstimo para dívidas do começo do ano?

Todo novo ano traz consigo alguns impostos como IPTU, IPVA e outros débitos, como material escolar. Ma...

06 jan, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.