É hora de fazer um empréstimo de antecipação do Imposto de Renda?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

É hora de fazer um empréstimo de antecipação do Imposto de Renda?

Por Mirela Alves

3 min de leitura

Publicado em 18 jun, 2018

Atualizado em 29 jun, 2022

3 min de leitura

Link Copiado!

Quem tem pressa em receber os valores da restituição do Imposto de Renda encontra uma alternativa para ter o dinheiro antes: fazer um empréstimo antecipando os valores recebíveis.

Mas como toda operação financeira, essa solicitação exige pesquisa e certos cuidados. Por isso, a gente explica aqui como funciona esse tipo de crédito. Assim, você avalia as condições e os riscos para saber se vale a pena pedir um empréstimo de antecipação do Imposto de Renda.

Como pedir o empréstimo de antecipação do Imposto de Renda?

Diversos bancos oferecem esse serviço e as taxas e limites variam em cada instituição. Como há uma grande chance de recebimento, os juros costumam ser mais baratos que outras modalidade de crédito.

Em geral, os bancos exigem que seja enviado o recibo da entrega da declaração do IR com a indicação da mesma instituição para o depósito do dinheiro. Dessa forma, é feita uma análise de crédito para determinar a aprovação e o limite.

Algumas instituições permitem emprestar até 100% do valor a ser restituído.

O pagamento é feito em uma única parcela, quando a Receita Federal fizer o depósito ou no dia acordado com a instituição financeira – na data que chegar antes.

Empréstimo para antecipação do Imposto de Renda vale a pena?

O contribuinte deve ter muito cuidado para não cair na malha fina. Isso porque os bancos estabelecem uma data limite para o pagamento, geralmente nos últimos dias do ano.

E quem está na malha fina pode receber somente nos lotes residuais, depois da virada do ano. Neste caso, o banco irá cobrar o valor integral do empréstimo (com os juros e impostos) mesmo sem o recebimento da restituição.

Dessa maneira, caso o cliente não tenha como arcar com a dívida, ele poderá pagar multas e ter restrições no nome.

Outro risco é se houver alguma retificação e o valor da restituição cair. Os bancos vão considerar o valor tomado para a cobrança da dívida. Ou seja, o cliente receberá menos dinheiro, mas a dívida continuará a mesma fazendo com que o contribuinte tenha que arcar com os custos adicionais do crédito.

A Provu faz empréstimo de antecipação do IR?

Não. A Provu oferece empréstimo pessoal para pessoas físicas sem a necessidade de garantias por parte do cliente. Ao contrário da antecipação do IR, os pagamentos de empréstimo na Provu são feitos em boletos mensais.

Além disso, nós trabalhamos com uma das melhores taxas de juros do mercado, competitivas em relação à antecipação do IR, o que você pode confirmar fazendo um pedido de crédito pessoal no nosso site:

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Mirela Alves

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Empréstimo
Cálculo de empréstimo consignado: entenda como funciona

Se você já precisou de um dinheirinho a mais para realizar algo, possivelmente já pensou em tomar um e...

03 mai, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Quem pode fazer empréstimo?

O empréstimo é uma boa opção para aqueles que desejam trocar uma dívida cara por outra mais barata, ou...

10 mar, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Vale a pena pedir um empréstimo para dívidas do começo do ano?

Todo novo ano traz consigo alguns impostos como IPTU, IPVA e outros débitos, como material escolar. Ma...

06 jan, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.