Atenção! A Provu não solicita pagamento antecipado para a liberação do Provu Empréstimo Pessoal.

Juros rotativos: o que é e como fugir das dívidas com esse tipo de juros?

Publicado em 06 fev, 2023

Atualizado em 18 abr, 2023

1 min de leitura

Link Copiado!

Quando falamos em juros, como consumidor, já dá uma dorzinha de cabeça, não é?

Já para os investidores, os juros rotativos podem ser um motivo de alegria!

A verdade é que os juros estão presentes em nossa vida há bastante tempo, mas a maioria das pessoas acaba não pesquisando a fundo para descobrir o que é, como funciona e como é feito o seu cálculo. Justamente por isso, em alguns momentos, as pessoas podem se deparar com os famosos juros abusivos, sem saber que estão lidando com um problema.

Mas hoje vamos falar sobre um outro tipo de juros. Neste artigo, vamos explicar tudo sobre juros rotativos para você entender o que é e como ele funciona de fato.

Vamos lá!

O que são os juros rotativos?

Antes de entrarmos nos detalhes sobre o que são juros rotativos, você precisa saber como funciona um cartão de crédito.

Claro que a parte em que você realiza uma compra e parcela o pagamento você já sabe. Inclusive, muitas pessoas acabam se perdendo com o limite do cartão de crédito, realizando várias compras parceladas e, quando chega o dia de pagar a fatura, o alto valor gasto acaba sendo uma surpresa.

Isso se caracteriza como falta de controle financeiro. Afinal, não é saudável gastar mais do que você consegue pagar.

Normalmente, os bancos oferecem uma alternativa bem tentadora: pagamento mínimo da fatura.

Se você já fez isso antes, ou conhece alguém que só paga o mínimo da fatura do cartão, sabe que essa alternativa pode prejudicar ainda mais a situação.

Quando é pago apenas o valor mínimo da fatura, os bancos transferem o valor restante para a próxima fatura, cobrando também uma alta taxa de juros rotativos. Até porque o pagamento mínimo é parcial do que foi gasto no mês.

Sendo assim, a próxima fatura soma os gastos do mês vigente somados ao valor não pago da fatura anterior e aos juros de uso do crédito rotativo.

O final dessa história a gente já sabe, não é?

Acaba virando uma grande bola de neve de dívidas com o banco, provavelmente chegando à inadimplência e, consequentemente, à negativação do seu nome.

Juros de crédito rotativo

Podemos considerar o crédito rotativo como um empréstimo emergencial. Ou seja, uma linha de crédito que é aberta automaticamente.

Se for parar para analisar, é parecido com o cheque especial. Porém, existem algumas características que acabam tornando o crédito rotativo tão comum. Algumas delas são:

  • Você pode realizar o pagamento apenas se baseando no valor utilizado, podendo ser alterado, já que são acrescentados impostos e taxas
  • É feita uma análise prévia de crédito, sujeita ou não à aprovação
  • À medida que o valor é pago ou utilizado, a quantidade de crédito pode se alterar. Isso significa que o crédito pode diminuir ou aumentar de acordo com a sua ação como consumidor
  • Pode utilizar somente o valor pré-aprovado do crédito, seja como parte do pagamento do cartão ou então para retirada
  • Pode pagar a dívida de forma parcelada ou integral
  • O crédito pode ser usado de forma constante

Antes de usar o crédito rotativo, é preciso observar os juros e encargos que são cobrados em cima do valor total.

Portanto, por mais que a sua dívida não seja grande, enquanto você não realizar o pagamento integral da fatura, maior será o valor total (juros + encargos + gastos da fatura).

Como calcular juros rotativos?

Como dissemos anteriormente, muitas pessoas não entendem o cálculo dos juros. Isso pode ser prejudicial para a saúde financeira, afinal, a pessoa acaba não sabendo o que exatamente será cobrado, quanto e quando.

Saber calcular os juros é essencial para decidir como agir para quitar uma dívida e evitar criar outras.

Se você acha que é um cálculo mirabolante, fique tranquilo!

A porcentagem dos juros rotativos e o valor final com impostos é apresentada todo mês na sua fatura. Você só precisa:

  1. Identificar a taxa de juros rotativos e o valor final com impostos
  2. Verificar o valor que não será pago e o que será lançado para o mês seguinte
  3. Fazer as contas dos parcelamentos que vão cair no mês seguinte
  4. Somar os parcelamentos futuros ao valor que não será pago e aos juros e impostos

Calcular vale a pena para entender se a opção de pagamento mínimo será útil, ou se é melhor procurar outra alternativa.

Confira um exemplo:

Digamos que a sua fatura de dezembro foi de R$ 1800,00 e você só conseguiu pagar R$ 1000,00. Isso significa que, em janeiro, você terá que pagar os R$ 800,00 faltantes.

Aí, você soma as parcelas em aberto e confere que a fatura do mês seguinte será de R$ 500,00.

Então, a sua fatura de janeiro será de 800 + 500 = R$ 1300,00.

E agora, precisa somar os juros que serão cobrados pelo pagamento parcial. Vamos considerar que a taxa cobrada seja de 10% ao mês. Nesse caso, o valor dos juros será de R$ 80,00.

Ou seja, se você não realizar nenhuma outra compra no seu cartão de crédito, o valor a ser pago em janeiro será de R$ 1380,00.

Perigos das dívidas nos juros rotativos

Os juros rotativos podem sofrer alterações no decorrer do ano, então não são tão previsíveis. Mas você sempre pode acompanhar os dados que o Banco Central divulga, porque é esse órgão que faz a regulação para o consumidor.

Uma dica é: se você precisar pagar o mínimo, economize bastante e evite usar o cartão de crédito para que o valor da próxima fatura caiba no seu bolso.

Até porque, como explicamos anteriormente, os juros rotativos são aplicados em cima do valor a ser pago.

Dicas para não cair nos juros rotativos

A única forma de não cair nos juros é realmente utilizando o seu cartão de crédito com responsabilidade financeira. Para isso, faça compras conferindo sempre o valor total da sua fatura! Tenha em mente ainda que várias compras com pequenas parcelas somam um alto valor a ser pago depois.

Mas separamos algumas dicas para melhorar o seu controle financeiro e evitar problemas:

Faça um planejamento de gastos no cartão de crédito

Evite ao máximo fazer compras impulsivas. A função de pagamento em crédito deve ser usada com consciência e planejamento.

Se você tiver o valor da compra disponível, faça a compra no débito e evite juros e uma fatura mais alta do que o necessário!

Tenha mais controle financeiro

Saber quando usar o seu cartão de crédito ajuda muito a controlar os gastos. Ele deve ser uma opção para que você consiga realizar compras de valores maiores com pagamento parcelado, ou para quebrar o galho no final do mês com pequenas compras.

Evite usar o cartão de crédito como uma extensão do seu salário mensal, ele não é!

Tendo consciência disso, você já consegue começar a ter um controle financeiro maior.

Pense muito bem antes de parcelar

O parcelamento é uma alternativa muito boa para conseguir realizar compras de alto valor!

Você só precisa refletir se irá conseguir realizar o pagamento das parcelas nos meses seguintes.

Se você fizer várias compras parceladas sem pensar no valor da fatura, vai acabar com uma fatura alta que não cabe no seu orçamento. E não queremos isso, não é?

Dependendo do valor e da necessidade do que você quer comprar, às vezes é melhor guardar o dinheiro por alguns meses e comprar à vista.

Ou ainda, para parcelar uma compra sem comprometer o limite, que tal conhecer a solução da Provu Boleto Parcelado? Você escolhe uma de nossas lojas parceiras, faz sua compra e paga os boletos mensalmente.

Busque alternativas para pagar à vista

Se você viu que não tem outro jeito e vai ter que pagar o mínimo do cartão de crédito, mas não pode se comprometer com a dívida no mês seguinte, você pode buscar alternativas para realizar o pagamento à vista.

Sabemos que, muitas vezes, é fácil perder o controle financeiro. Seja por emergências, imprevistos ou receber menos do que você esperava no mês, acontece.

Uma solução é procurar um empréstimo pessoal para quitar a sua dívida!

O ideal é pegar o valor para quitar todo o seu cartão de crédito, porque aí você fica apenas com o parcelamento do empréstimo para pagar, que tem taxas de juros mais justas e personalizadas para cada perfil financeiro.

Aqui na Provu, por exemplo, analisamos o seu perfil para oferecer parcelas que cabem no seu bolso e não prejudiquem sua vida financeira.

Conclusão

O caminho é sempre a organização e controle financeiro. Seja em uma planilha de gastos, aplicativo ou anotações, é fundamental saber para onde está indo o seu dinheiro.

Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor, mas se você ficou com alguma dúvida, comente abaixo!

Você sempre encontra conteúdos sobre o mundo financeiro aqui em nosso Blog, continue nos acompanhando!

Escrito por: Pri da Provu

Meu nome é PRI, e eu sou a nova assistente virtual da Provu! Aqui no blog da Provu e nas nossas redes sociais eu vou falar dos mais variados assuntos, e através do WhatsApp, Chat do site e telefone da Provu, eu vou: 👉 Ajudar a baixar o boleto das parcelas do Provu Empréstimo e Provu Boleto Parcelado 👉 Dar suporte no refinanciamento do seu contrato do Provu Empréstimo 👉 Esclarecer tudo que você precisa saber sobre o Provu Empréstimo e Provu Boleto Parcelado 👉 Dar suporte em negociações; E muito mais! Quer me conhecer mais? Acesse o Blog da Provu. E se quiser bater um papo comigo, é só acessar nosso WhatsApp, chat do site ou telefone!

Comentários (3)
Usuário
NELSON PICKLER JAQUES JUNIOR
18/02/2023

Grato pela oportunidade.

Usuário
Marcos Cordeiro Soares
08/02/2023

Empréstimo pessoal

Responder
Usuário
Atendimento Provu
09/02/2023

Boa tarde, Marcos. Como vai? Ficamos felizes em saber que você tem interesse em nossos serviços. Nosso empréstimo é sem garantia, ou seja, não pedimos seus bens como garantia. Atendemos funcionários com carteira assinada (CLT), profissionais autônomos, funcionários públicos, pensionistas e aposentados. Fazer uma proposta de empréstimo com a gente, independente do valor que você deseja, é bem fácil! Basta acessar o nosso site: https://emprestimo.provu.com.br/cadastro e preencher o seu cadastro, após o resultado da sua pré-análise, você vai ficar sabendo se temos uma linha de crédito disponível para você. É importante preencher as informações corretamente! Se você tiver alguma dúvida, pode nos chamar! Estamos à disposição. :)

Fazer um comentário:

Prove realizar organização financeira!

Insira seu e-mail para receber as melhores dicas para o seu bolso:

Associações

abcd-logo

Prêmios

premio-cliente-sapremio-ra-1000

Selos

selo-empresa-neutra-de-carbono

Parceiros de Cobrança

kitei-logomhFlores-logoserasa-logo

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 4,45% a.m. (68,62% a.a.) até 11% a.m. (249,85% a.a.), e o CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 4,79% a.m. (76,78% a.a.) até 11,37% a.m. (270,87% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 9, 12, 18, 24 ou 36 meses.

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 4,45% a.m.; 68,62% a.a.; CET 75,53% a.a.; parcelas: R$ 757,37; IOF: R$ 206,42; valor total: R$ 13.632,57. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.