6 motivos para evitar o crédito consignado

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

6 motivos para evitar o crédito consignado

Por Provu

3 Minutos

Publicado em 02 out, 2017

Atualizado em 02 out, 2017

3 min de leitura

Link Copiado!

Muito se fala sobre o crédito consignado como uma opção barata para quem está buscando um empréstimo. Além disso, a redução do teto de juros para este tipo de crédito o reafirmou como a linha mais barata do mercado. Ainda assim, o consumidor ainda precisa tomar cuidados para que este crédito não o atrapalhe mais do que ajude.

Cuidados com o crédito consignado

1. Ao contratar um crédito consignado o consumidor não tem uma análise de seu percentual de renda comprometido com o empréstimo, nem a capacidade financeira dele e suas necessidades. É muito fácil se afundar em dívidas sem este cuidado.

2. Consumidor não vê os prós e contras do contrato, já que muitas vezes este crédito consignado é tomado até mesmo por telefone. O consumidor sabe quanto vai tomar, o valor das parcelas, mas acaba não vendo o que está envolvido naquele empréstimo.

3. Renda comprometida por um longo período. Em geral o crédito consignado é oferecido para pagamentos em longos períodos, o que faz com  que a dívida permaneça por muito tempo como parte dos gastos do consumidor.

4. Dificuldade para fazer a quitação antecipada. Diferente do que acontece no crédito pessoal não consignado, no empréstimo consignado é muito difícil para o consumidor solicitar a quitação antecipada que lhe garante um abatimento dos juros da operação de crédito.

5. A falta de documentação contratual também está entre os principais problemas. Além de o consumidor não ver muitas vezes o contrato antes de tomar o crédito, ele segue sem posse do mesmo até mesmo após começar a pagar as parcelas do crédito consignado tomado.

6. Comprometimento de renda fora de controle. É comum que os bancos cheguem a permitir que um consumidor tome empréstimo consignado mesmo que tenha 70% de sua renda comprometida com dívidas. Este tipo de prática leva ao enorme endividamento dos contratantes de empréstimo consignado público e privado.

Vantagens do consignado

Como já apontamos, o empréstimo consignado carrega consigo uma excelente taxa de juros, já que o desconto das parcelas é feita diretamente na folha de pagamento do consumidor, o que diminui os riscos de inadimplência. Contudo, é importante lembrar que isso implica na necessidade de convênio de sua empresa com o banco para que possa tomar este tipo de crédito. Além disso, seu empregador saberá se está buscando crédito.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Empréstimo
Cálculo de empréstimo consignado: entenda como funciona

Se você já precisou de um dinheirinho a mais para realizar algo, possivelmente já pensou em tomar um e...

03 mai, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Quem pode fazer empréstimo?

O empréstimo é uma boa opção para aqueles que desejam trocar uma dívida cara por outra mais barata, ou...

10 mar, 2022
Ler artigo
Empréstimo
Vale a pena pedir um empréstimo para dívidas do começo do ano?

Todo novo ano traz consigo alguns impostos como IPTU, IPVA e outros débitos, como material escolar. Ma...

06 jan, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.