Multa do Imposto de Renda: como funciona?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Multa do Imposto de Renda: como funciona?

Por Provu

3 Minutos

Publicado em 28 abr, 2022

Atualizado em 28 abr, 2022

3 min de leitura

Link Copiado!

Perdeu o prazo de declaração do Imposto de Renda? Quer saber qual é a multa e como funciona o cálculo?
Vamos te explicar melhor como e onde regularizar essa situação.

O que acontece se a pessoa não entregar a declaração de imposto de renda?

Para quem não entregou a declaração do Imposto de Renda pode sentar e aguardar uma multa.

Além de procedimentos como o cancelamento do CPF do indivíduo, que impossibilita a inscrição em:

  • concursos públicos,
  • em faculdades,
  • a emissão de passaportes,
  • aberturas de contas bancárias e de crédito.

Sonegação é o nome dado para quem não oferece a declaração anual. Nesse caso, o processo se torna mais grave, já que a penalidade para a sonegação é de 2 a 5 anos de reclusão. Dessa forma, o aconselhado sempre é não deixar de fazer a entrega do documento. Ainda que em atraso, assim a penalidade se limita a só uma multa.   

Como calcular o valor da multa do imposto de renda?

O valor mínimo da multa para as pessoas que eram obrigadas a declarar o imposto de renda e não o fizeram, é, a cada mês, 1% do imposto devido acrescido ao valor. Logo, o valor máximo que pode chegar a multa é de 20% sobre o valor devido, além do juros proporcionais à taxa SELIC.

Os contribuintes isentos da cobrança estão sujeitos à multa de quantia mínima. No valor de R$165,74 e essa quantia também fica em dívida quando o 1% do imposto devido é igual ou inferior a esse valor.

Esse caso de multa também pode ocorrer com pessoas que não tiveram rendimentos durante o ano, mas que possuem patrimônios num valor acima de R$300 mil.

Para quem tem o direito à restituição, pode ser interessante usar desse valor para abater o valor da multa, se necessário.

Onde pagar a multa do Imposto de Renda? 

Para pagar a multa, é necessário emitir o DARF, o Documento de Arrecadação de Receitas Federais, no programa da própria Receita Federal, e, após sua emissão, o pagamento pode ser feito em casas lotéricas, bancos ou até mesmo pelo seu celular ou internet banking no computador. 

Se for pagar pelo computador, por exemplo, é só digitar no campo de busca do banco “pagamento de DARF ou GPS”, que a operação vai funcionar como se fosse um boleto, mesmo se o código de barras não for gerado.  

Conta aqui nos comentários, você sabia que era simples assim? Se tiver mais alguma dúvida, vamos adorar te responder. Por fim, acesse nosso Blog e tenha mais segurança no mundo das finanças.

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Economia
Imposto de Renda negativo: o que é?

Imposto de renda negativo não tem relação com a restituição de imposto de renda, pelo contrário, o ter...

13 abr, 2021
Ler artigo
Economia
O que é IPO?

Oferta pública inicial, ou IPO, sigla para “Initial Public Ofering”, do inglês. Você pode nunca ter ou...

01 abr, 2021
Ler artigo
Economia
Empréstimos voltam a ter IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) volta a ser cobrado nas operações de empréstimo feitas a p...

26 nov, 2020
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.