Nota promissória: o que é, como fazer e os cuidados para preencher

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Nota promissória: o que é, como fazer e os cuidados para preencher

Por Provu

6 Minutos

Publicado em 24 fev, 2022

Atualizado em 24 fev, 2022

6 min de leitura

Link Copiado!

Acordos entre pessoas – sejam elas físicas ou jurídicas – acontecem todos os dias. E uma das formas de garantir a promessa de pagamento de uma dívida, consequência de um desses acordos, é através de uma promissória.

Ainda que um acordo verbal permaneça com certo valor hoje em dia, transferir todos os pontos de uma negociação para um contrato, e então fazer uma nota promissória que assegure o pagamento do negócio, é sempre a melhor opção, principalmente para fins legais.

Se você está nessa situação, independentemente de qual lado do negócio for, fique com a gente que neste artigo vamos tratar dos pontos mais importantes a respeito das promissórias. 

O que é uma nota promissória?

Uma nota promissória, em linhas gerais, é um documento que assegura que o pagamento de uma dívida deverá ser feito em algum momento. Esse acordo e, por consequência, a dívida, podem ser das mais variadas naturezas, como compra e venda de um imóvel, por exemplo.

Tanto pessoas físicas como empresas de grande porte utilizam a nota promissória, já que ela tem valor legal. Sua legalidade de utilização tem regulação no Decreto 2.044, em vigor desde 1908, e é um dos documentos mais utilizados e aceitos pela Justiça em situações onde instituições financeiras não estão envolvidas. 

De acordo com o decreto, existem etapas a se seguir no preenchimento correto, e alguns cuidados com as informações, mas isso nós falaremos mais adiante. O importante é entender que a promissória não substitui um contrato, como dissemos no tópico anterior.

Assim, um contrato é essencial no sentido de determinar cláusulas sobre o que está sendo acordado e negociado. A nota promissória atesta apenas a dívida: quem deverá pagar, quem deverá receber, o valor e em quanto tempo deverá ser quitada.

Como funciona uma nota promissória?

Duas partes principais devem estar presentes na nota promissória: o emitente, também conhecido subscritor, e o tomador, ou beneficiário.

Basicamente, o primeiro é quem deve. Quem assina a nota promissória e através disso promete o pagamento acordado. O segundo, por sua vez, é o credor, ou seja, a pessoa fica com a nota até que ela seja quitada.

Como o credor fica com a promissória e ela possui valor legal – desde que devidamente preenchida – ele pode entrar na justiça protestando a nota que não foi paga, ou solicitar que o negócio seja desfeito. 

Quais são as principais informações que devem ter uma nota promissória?

Dentre outros pontos importantes para a validade da promissória, o Decreto 2.044 determina as principais informações que devem constar de forma clara no pagamento:

– Nome completo da pessoa física ou jurídica que está assumindo a dívida. Nessa parte também é preciso incluir o CPF ou o CNPJ;

– Valor da soma em dinheiro que deve ser paga, considerando a cifra monetária, para o caso da dívida ter sido contraída em dólar ou euro, por exemplo;

– Assinatura de próprio punho do emitente, que assume a dívida. O decreto não fala sobre a necessidade de assinatura do beneficiário, mas caso seja possível, é permitido;

– No início do documento, é fundamental que exista a sua nomeação, com a inscrição “Nota Promissória”. 

Quais são os tipos de nota promissória?  

Pró-soluto

Imagine que você e outra pessoa negociaram um terreno, sem a necessidade de um consórcio ou financiamento. Você é o vendedor e, durante a negociação, ficou estabelecido que a outra parte faria metade do pagamento no ato, e o restante por meio de uma nota promissória.

Se a data do pagamento chegar e você não receber a quantia acordada, pode-se utilizar a nota na justiça, mas não para desfazer o negócio e reaver o Imóvel, e sim para receber o pagamento.  

Pró-solvendo 

Aqui temos o oposto do exemplo acima. Se o pagamento não sai de acordo com o planejado e endossado pela promissória, o negócio pode ser desfeito e, ao invés de aguardar pelo pagamento, você pode ter o terreno de volta. 

O que determina a escolha de uma ou de outra, é basicamente o interesse do beneficiário, ou mesmo de ambas as partes. A depender daquilo que está sendo negociado, muitas vezes não vale a pena ter o bem outra vez por conta de desgaste e desvalorização. 

Quais são os cuidados que se deve tomar ao preencher uma nota promissória?

O preenchimento da nota promissória é sempre o mais importante, já que são as informações corretas que a tornam legal perante a Justiça. Dessa forma, o principal cuidado é nesse momento.

Nesse sentido, qualquer rasura que impossibilite a leitura dos dados principais, que mencionamos anteriormente, farão com que a nota seja inutilizada.

Beneficiário ou emitente, não importa, leia sempre com muita atenção para garantir que os prazos e valores são exatamente os que foram acordados. Além disso, caso haja um contrato, garanta que ambos tenham as mesmas informações.  

O que acontece caso a nota promissória não seja paga?

Ao permitir que uma nota promissória vença, normalmente o primeiro passo é conversar e deixar que a cobrança aconteça entre as partes. Mesmo assim, ainda que seja sempre a opção mais desconfortável pelo trabalho demandado, acionar a Justiça é a melhor forma de lhe proteger legalmente.

O próprio beneficiário pode contestar uma nota promissória através de uma Ação de Execução de Título Extrajudicial. Se a nota tiver um valor devido inferior a 20 salários mínimos, é possível mover uma ação pessoalmente. Caso contrário, é preciso a ajuda de um advogado. 

Saber sobre a segurança que uma nota promissória pode lhe trazer na hora de negociar é sempre bom pois, dessa forma, é possível evitar descuidos na hora de determinar valor e os prazos.

Outro ponto importante é não cometer erros na hora do preenchimento, já que esse é um dos principais motivos para o prejuízo de ambas as partes de um negócio. 

Esperamos que este conteúdo possa ajudar você a tomar boas decisões em seus negócios futuros!

Se você achou esse conteúdo interessante, saiba que temos muito mais, sobre esses e outros temas, aqui no nosso blog.

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.