O que é CDB? Saiba mais sobre este investimento

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

O que é CDB? Saiba mais sobre este investimento

Por Mirela Alves

6 min de leitura

Publicado em 23 ago, 2021

Atualizado em 29 jun, 2022

6 min de leitura

Link Copiado!

Se você já navegou no nosso blog, deve ter visto o conteúdo sobre renda fixa. Entre os investimentos deste grupo, os CDBs de significado “Certificados de Depósito Bancário”, são os mais conhecidos. A maioria dos bancos oferecem este tipo de investimento e, por este motivo, acabam sendo os mais procurados para quem quer migrar o dinheiro para algo mais rentável. Mas antes de falarmos sobre todas as opções disponíveis, vale comentarmos: 

O que é CDB?

Se você anda pesquisando sobre o Tesouro Direto, sabe que as pessoas que compram títulos públicos estão emprestando dinheiro para que o governo realize algumas ações. A lógica é a mesma quando falamos sobre CDB, a diferença é que se você investir nos Certificados de Depósito estará emprestando dinheiro aos bancos para que eles financiem suas atividades de crédito e devolvam o valor com juros. Trata-se de um investimento a prazo

Quais são os títulos disponíveis?

Quando investimos em CDBs, precisamos entender que eles se parecem com outros produtos de renda fixa. Também é necessário conhecer os três modelos mais comuns para termos ciência de quanto rende o CDB, já que tudo depende do tipo escolhido e de suas características. 

  • CDB prefixado: os rendimentos prefixados são aqueles que sabemos exatamente qual será o valor rentável ao longo do período. Por exemplo, se um título oferece taxa de juros de 10% ao ano, já conseguimos calcular quanto receberemos no final. 

Para isso, é só considerar o valor investido, o período até a data de vencimento e a taxa de juros. Neste caso, representaria uma valorização de 10% do seu dinheiro a cada ano. Depois, você só precisa descontar o Imposto de Renda. 

  • CDB pós-fixado: os juros pós-fixados são normalmente atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Este é o tipo de CDB mais comum disponível no mercado. Nesta situação, o investidor sabe qual indicador servirá de referência para a rentabilidade do papel desde o momento da aplicação. Entretanto, não é possível saber concretamente de quanto será o retorno em reais, já que ele seguirá a dinâmica de variações do indicador. 

Em um CDB com remuneração de 100% do CDI ao ano, o investidor ganha 100% do rendimento do CDI ao longo de um ano, por exemplo. 

  • CDB híbrido: como o próprio nome já sugere, o CDB híbrido é a junção da forma de trabalhar dos dois anteriores. Este é o mais comum em outros títulos de renda fixa, mas é raro no CDB. Normalmente está atrelado à inflação.  

CDB com liquidez diária x CDB com liquidez no prazo de vencimento

Um CDB com liquidez diária é o Certificado que pode ser resgatado a qualquer momento. Ou seja, você pode vender o papel quando quiser e ter acesso ao dinheiro com o proporcional dos juros. Mas como escolher entre as duas opções? 

Tudo depende da sua condição atual. Quem pode esperar, tem uma rentabilidade maior no futuro. Entretanto, o CDB com liquidez diária é bacana para quem deseja formar uma reserva de emergência, por exemplo. A liquidez diária é um investimento muito melhor do que a poupança

Qual o prazo para investir em CDB?

Os prazos variam de emissor para emissor e de título para título. Para entender o prazo de carência do CDB, é preciso pensar na junção entre o vencimento do seu título com a sua liquidez. 

Por exemplo, se um CDB tem prazo de carência de 2 anos, significa que o seu dinheiro precisa ficar aplicado no banco durante esse tempo. Entretanto, como já falamos anteriormente, também é possível encontrar CDBs com prazos de acordo com o seu objetivo:

  • Liquidez diária, para retirar o dinheiro quando quiser;
  • Liquidez no prazo de vencimento, com anos de carência, para garantir um futuro tranquilo. 

O que vale sempre é entender o seu perfil de investidor para ter certeza de que um CDB é a melhor opção para você. 

Esse investimento vale a pena?

Um dos pontos positivos dos CDBs é que são investimentos muito populares e simples de contratar. Para aplicar, você só precisa transferir o dinheiro da conta corrente para o CDB. Outro ponto a levar em consideração é que o CDB é coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito, que assegura o investidor em até R$ 250 mil caso a instituição financeira quebrar. 

Há riscos para investir em CDB?

O principal risco de um Certificado de Depósito Bancário é o risco de crédito. Isso porque ele representa a chance de a instituição que emitiu o título ter problemas de caixa e acabar não pagando os investidores. Por isso, é muito importante pesquisar sobre a solidez e reputação do emissor antes de qualquer aplicação. 

Neste caso, é possível ir em busca das agências de classificação de risco de crédito, já que elas atribuem um rating (nota que avalia o risco de crédito) aos emissores e CDBs. Quanto mais alta a nota, melhor a reputação. O contrário também funciona. 

Qual é o valor mínimo para investir em CDB?

Ao pensar em investir em um CDB pode ser que você encontre algumas exigências da instituições financeiras, como um valor mínimo, por exemplo. A aplicação pode variar de acordo com o nível de risco e do potencial de retorno. 

Em grandes bancos, é possível encontrar Certificados de Depósito Bancário com um valor mínimo pequeno, a partir de R$ 500. Entretanto, este tipo de CDB pode oferecer uma remuneração menor, já que quanto maior o investimento, maior o retorno do dinheiro investido. 

Como funciona o Imposto de Renda no CDB?

A tributação dos CDBs é a mesma dos investimentos de Renda Fixa. Sendo assim, você paga o imposto de renda seguindo uma tabela regressiva, em que as alíquotas diminuem conforme o tempo da sua aplicação. A taxa pode variar entre 22,5% sobre a rentabilidade para investimentos de até seis meses, e 15% sobre a rentabilidade para investimentos mantidos por mais de dois anos. 

Agora que você conheceu um pouco mais sobre os Certificados de Depósito Bancário, continue navegando pelo Blog da Provu para entender ainda melhor sobre outros tipos de investimento. 

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Mirela Alves

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.