O que é e como funciona cheque especial?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

O que é e como funciona cheque especial?

Por Mirela Alves

4 min de leitura

Publicado em 08 out, 2021

Atualizado em 30 jun, 2022

4 min de leitura

Link Copiado!

Cheque especial nada mais é do que o limite implementado na conta bancária com o propósito de dar crédito para quem ficou sem dinheiro de última hora

O Cheque especial (também conhecido como limite pré-aprovado) é um tipo de crédito que os bancos disponibilizam, em troca da cobrança de juros sobre o valor emprestado.

Em geral, quanto maior a sua renda, maior será o seu limite, pois isto significa a sua capacidade de pagamento do empréstimo que a pessoa toma do banco. Além disso, quanto mais giro de dinheiro a pessoa faz com o uso do seu limite, maior será o seu limite do seu cheque especial também. Cada banco possui a sua taxa de juros do cheque especial, mas geralmente todas elas são altas, ou seja, os seus juros são caros.

Devido aos juros altos, é recomendado o uso do cheque especial em situações emergenciais, e também quando está consciente de que conseguirá pagar o valor do cheque especial no curto prazo. Caso contrário, poderá facilmente perder o controle e não conseguir pagar a dívida com altos juros.

Quais as vantagens e desvantagens do cheque especial?

A maior vantagem do cheque especial é o seu fácil acesso e rapidez em conseguir sacar. Isso porque, a qualquer momento, quando necessitar de um dinheiro, basta utilizar por meio do cartão do banco. Não há necessidade de solicitar um limite ao banco, passando pelas burocracias demoradas.

Por outro lado, a grande desvantagem de usar o cheque especial é o alto CET (Custo Efetivo Total). Com os juros elevados, é fácil perder o controle sobre a dívida, resultando em endividamento. A consequência a partir da inadimplência pode ser muito pior, desde o cancelamento do serviço bancário até a tomada dos bens da pessoa.

Como saber se eu tenho limite de cheque especial?

Muitos podem confundir o SALDO TOTAL no demosntrativo do banco como o dinheiro que há na sua conta, porém na verdade o valor real que possui dentro da sua conta corrente. O restante do valor, é justamente o valor do cheque especial que o banco disponibilizou para a pessoa. É importante ficar atento para o valor da conta corrente, e não do saldo total.

Juros compostos, perigo oculto

Muitos não têm conhecimento dos juros compostos, mas eles afetam bastante a percepção dos consumidores que utilizam cheque especial. O exemplo abaixo mostra como funciona:

Você utilizou R$ 1.000,00 do limite em janeiro. Supondo que a taxa de juros mensal seja de 85% ao mês (taxa prevista pelo Banco Central para as instituições), daqui a um mês, em fevereiro, a sua dívida será de R$ 1.000,00 + R$ 80,00 = R$ 1.080,00

Em março, muitos podem pensar que terá um acréscimo de R$ 80,00, o que deixará a dívida no total de R$ 1.160,00. Infelizmente não é assim que funciona. A sua dívida acrescida em março será R$ 86,40 (10% em relação a dívida de fevereiro).

Débito automático é prejudicial?

Atenção com as contas que ficam no débito automático porque quando você menos espera, ela pode ser descontada na sua conta e, nos meses com a carteira mais apertada, elas podem acabar com o limite do seu cheque especial e fazê-lo pagar altas taxas de juros.

Crédito pessoal é melhor que cheque especial

Se você já está em situação de endividamento, recomendamos a transferência da dívida para uma mais barata, como o empréstimo pessoal, por exemplo. Ele costuma ter juros mais baixos em relação aos do cartão de crédito. Há diversas opções no mercado para a contratação de um empréstimo pessoal, inclusive online. O importante é pesquisar bem essas alternativas comparando as taxas, os parcelamentos, a facilidade de contratação e o tempo de demora para a contratação. Lembre-se de que quanto mais tempo levar para quitá-la, ela ficará maior e você terá mais dificuldade para pagá-la.

Então quando devo usar o cheque especial?

O ideal seria não usá-lo, mas caso precise, recomendamos somente em situações emergenciais. É importante “repor” esse valor utilizado o quanto antes, pois quanto mais tempo a sua conta fica negativada, devido ao uso do desta linha de crédito, maior será a sua dívida. Os juros são cobrados diariamente, portanto, a antecedência será a sua aliada no pagamento.

E, aí gostou? Então não deixe de acompanhar mais conteúdos no site da Provu, afinal quem prova aprova!

Escrito por: Mirela Alves

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Cheque Especial
Como sair do cheque especial?

Saber como sair do cheque especial é essencial para construir uma boa saúde financeira, já que essa é ...

23 abr, 2021
Ler artigo
Cheque Especial
Juros do cheque especial atigem o maior nível em 2 anos

Uma pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP em março de 2019 revelou que os juros do cheque especia...

18 mar, 2019
Ler artigo
Cheque Especial
Tenho uma dívida no cheque especial, posso perder meus bens?

É normal que quem fique inadimplente se preocupe com os bens que tem em seu nome. Hoje vamos explicar ...

19 out, 2017
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.