Quanto custa um inventário?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Quanto custa um inventário?

Por Provu

3 Minutos

Publicado em 07 mai, 2018

Atualizado em 07 mai, 2018

3 min de leitura

Link Copiado!

Descubra quanto você vai gastar para fazer um inventário e o que ele é.

Quando uma pessoa morre, todos os seus bens, direitos e dívidas passam para os seus herdeiros. Mas essa transferência pode ser feita de algumas maneiras e os valores variam conforme o estado da federação e a complexidade. Reunimos todas as informações que você deve levar em conta para definir quanto custa um inventário.

O inventário é calculado de acordo com a soma de todos os bens. Imóveis (de acordo com o valor do IPTU), veículos (de acordo com a tabela Fipe), dinheiro em conta corrente ou investimentos. Ele deve ser feito em até 60 dias após o óbito e há multas para quem passar deste prazo.

Inventário judicial ou inventário extrajudicial

Existem dua formas de se fazer um inventário: judicial e extrajudicial. O primeiro é geralmente mais caro e demorado. Isso porque envolve um processo judicial com custas e taxas processuais. O extrajudicial é feito no cartório e, em geral, mais barato. Nele, não deve existir testamento e todos os herdeiros devem ter capacidade civil e estarem de acordo com a partilha dos bens.

No judicial os custos variam de acordo com a complexidade e no extrajudicial é necessário pagar a taxa do cartório. Os valores são definidos de acordo com a herança e variam em cada estado.

ITCMD

É o Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD). O valor varia em uma tabela de acordo com a soma dos bens, isso é, quanto maior a herança, maior será a faixa, como no Imposto de Renda. Ele é estadual e cada unidade federativa define os critérios e a porcentagem mínima e máxima. As faixas variam entre 1% e 8% e é necessário consultar um cartório ou a Secretaria de Fazenda do seu estado para conhecer o custo.

Advogado

É obrigatória a contratação de um advogado para a realização do inventário. O custo é acertado diretamente com o profissional e geralmente é cobrado de 2% a 10% da soma dos bens. Existem valores recomendados definidos pela tabela da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de cada estado.

Isenção

Se o requerente comprovar que não tem condições de pagar os custos do processo, é possível ter a isenção de todas as taxas. É necessário procurar a Defensoria Pública que fará a análise e o procedimento.

Empréstimo para Inventário

Em muitos casos, é comum recorrer a um empréstimo para o inventário, atentando-se ao prazo de 60 dias para fazer o pedido e evitar multas. Caso deseje vender o bem, use o dinheiro recebido para quitar o inventário. Faça uma simulação de empréstimo online sem compromisso!

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.