Renda Fixa: conheça este tipo de investimento

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Renda Fixa: conheça este tipo de investimento

Por Provu

6 Minutos

Publicado em 04 out, 2021

Atualizado em 04 out, 2021

6 min de leitura

Link Copiado!

Investir nem sempre é um assunto simples para a maioria das pessoas. Quando se trata de cuidar do dinheiro e encontrar oportunidades de melhorar os lucros, muitas são as dúvidas que surgem na cabeça da população. Dentre tantas opções, está o fundo de renda fixa, que tem uma rentabilidade um pouco mais segura e vem se tornando opção para muitos. 

Como funciona o investimento em Renda Fixa?

Afinal, o que é Renda Fixa? O investimento de Renda Fixa são aqueles que têm rentabilidade pré-definida no momento em que se contrata. É possível se basear nos pré-fixados, quando seguem a mesma taxa do início ao fim da aplicação e os pós-fixados, que podem seguir algum índice, como o IPCA (inflação), por exemplo. Tesouro Direto, CBDs e LCI são considerados exemplos de Renda Fixa. 

Simplificando o que são os investimentos em renda fixa, é possível que você conheça ou preveja a rentabilidade dessa ação, antes mesmo de realizar a operação (diferente da Bolsa de Valores, que possui renda variável e a rentabilidade não é garantida). 

Como a Renda Fixa funciona na prática? 

Assim como qualquer empresa, as instituições financeiras ou até mesmo o governo precisam captar recursos para financiar alguns projetos e darem continuidade nas atividades. Neste momento entram os investimentos em Renda Fixa. 

Não entendeu? Nós explicamos! Se você investe em Renda Fixa, é como se emprestasse o seu dinheiro para essas instituições. Elas, por sua vez, utilizam o dinheiro para financiar alguma atividade e devolvem o valor acrescido de uma taxa de juros. É como se você fosse um “agiota de instituições” legalizado. 

Quais as vantagens?

Ao aplicar o seu dinheiro em Renda Fixa, você terá acesso a algumas vantagens que dificilmente vai encontrar em outros tipos de aplicação, como: 

1. Baixo risco

As aplicações de renda fixa têm a característica de baixo risco em comum. Por serem investimentos com rentabilidades predefinidas ou vinculadas a algum indexador (como Selic, por exemplo), eles se tornam praticamente livres de risco. 

E o que isso quer dizer? Que todas elas não sofrem com variações de preços, diferente da Bolsa. O único risco que você pode correr em Renda Fixa é o de quebra da instituição em que aplicou o dinheiro. Mesmo assim existem aplicações protegidas, que asseguram a devolução do capital investido em caso de falência da instituição. 

2. Liquidez 

Diferente de alguns investimentos, que você precisa deixar o dinheiro por um tempo ou paga multa, caso retire-o, grande parte dos investimentos de renda fixa tem a liquidez como benefício principal. Sendo assim, você pode resgatar o valor a qualquer momento, em caso de necessidade ou urgência. 

De qualquer forma, vale ressaltar que não são todos os investimentos de renda fixa que oferecem liquidez. O resgate imediato pode acontecer com CDBs de liquidez diária e o título do Tesouro Selic.

3. Facilidade de contratação

O acesso facilitado ao investimento de renda fixa também é uma das vantagens deste estilo. Com alguns cliques é possível retirar o dinheiro da sua conta corrente e aplicar em algum produto financeiro (a maioria dos bancos oferecem este tipo de serviço em seus aplicativos). E, assim como é simples aplicá-lo, você tem total facilidade em resgatá-lo, caso surja uma necessidade ou oportunidade de investimento melhor. 

4. Previsibilidade de retorno

Por possuírem taxas predefinidas e indexadas, as aplicações em renda fixa possuem um risco menor do que outros tipos de investimento e as tornam “previsíveis” em termos de retorno. Com isso, se você tem um perfil de investidor mais conservador, terá mais tranquilidade por conta da previsibilidade de retorno. 

5. Reserva emergencial 

Possuir uma reserva de emergência é super importante para ter um planejamento financeiro e uma das melhores formas para isso é aplicar parte das suas economias em renda fixa. Este estilo de investimento é um dos melhores para quem está buscando poupar dinheiro para situações emergenciais, já que são de baixo risco e alta liquidez. 

Quais são os mais populares fundos de renda fixa? 

Muitas são as oportunidades quando falamos sobre como investir em renda fixa. Isso porque existem diversos tipos de fundos que você pode entender como funciona e ver qual melhor se encaixa na sua realidade. Confira alguns: 

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um tipo de Renda Fixa acompanhado pelo Governo. De forma resumida, a captação é utilizada para o desenvolvimento de áreas da educação, saúde e infraestrutura. Complementando, o Tesouro Direto oferece três tipos de títulos:

  1. Indexado à taxa Selic (Tesouro Selic);
  2. Prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Fixado com juros semestrais);
  3. Atrelados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com juros semestrais).

Para investidores iniciantes, o título mais recomendado é o Selic, pois ele rende exatamente como a taxa básica de juros da economia e possui baixa volatilidade.  

CDBs

No CDB (Certificado de Depósito Bancário), você empresta dinheiro aos bancos. Isso porque este tipo de instituição possui operações comerciais de empréstimo como crédito a correntistas, financiamento de automóveis ou cheque especial. Para tal, os bancos também tomam dinheiro emprestado pagando juros, no caso você será o responsável pelo “empréstimo”.  

LCA e LCI

O LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) e o LCI (Letra de Crédito Imobiliária) são aplicações muito parecidas com o CDB. A diferença está na vantagem da isenção de tributos, como o Imposto de Renda (IR). Com isso, os rendimentos do seu investimento vêm direto para as suas mãos.

Letras de Câmbio

A LC ou Letras de Câmbio tem o mesmo direcionamento do CDB. A diferença é que ela é emitida pelas financeiras de porte menor. Sendo assim, a taxa de rentabilidade deste investimento geralmente é mais alta que as demais modalidades. 

CRI e CRA

O CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e o CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) são aplicações pouco conhecidas pelos investidores de Renda consideradas Fixas e emitidos pelas securitizadoras. 

Por ter um perfil de risco arrojado, a taxa de rendimentos costuma ser alta. Vale ressaltar que este tipo de investimento não tem cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), por isso, busque entender a nota de rating (ou crédito) das instituições.

Como investir em renda fixa?

Entender como funcionam os títulos de Renda Fixa é o primeiro passo para investir. Após isso, você pode procurar em um banco, corretora ou plataforma de investimentos para se informar sobre as opções disponíveis. 
Agora você já se sente mais confiante para investir? Se você ainda ficou com dúvidas, deixe o seu comentário para nós! Continue navegando no blog para aprender ainda mais sobre o mercado.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.