Como funciona o novo cálculo Score?

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Como funciona o novo cálculo Score?

Por Mirela Alves

5 min de leitura

Publicado em 03 jun, 2021

Atualizado em 03 jun, 2021

5 min de leitura

Link Copiado!

O Serasa muda cálculo do score de crédito; entenda como o histórico de pagamento torna-se menos relevante

O Score de crédito, ou nota de avaliação do consumidor, é uma média que todas as pessoas com o CPF (cadastro de pessoa física) possuí. Ela defini se a pessoa pode ser um bom, mediano ou péssimo pagador. Para poder acessar o próprio Score é necessário realizar um cadastro em um dos birôs de créditos.

Contudo, para quem tem o hábito consultar é importante frisar para não se assustar caso o número da pontuação de crédito tenha se alterado do dia para a noite. Isso porque o Serasa informou que acaba de lançar um novo modelo de cálculo da métrica que mede o risco de inadimplência de pessoas físicas com maior assertividade.

Sendo assim, o novo cálculo, que o Serasa chama de Score 2.0, valoriza mais os bons hábitos de pagamentos do que o histórico de dívidas de cada CPF. O score continua sendo de zero a mil, sendo que quem alcança a nota mais perto de mil é considerado melhor pagador e tem melhores chances na hora de conseguir produtos financeiros. No caso do empréstimo pessoal por exemplo, a taxa de aprovação sobe, o valor a ser pego pode ser maior com um tempo de pagamento estendido e, por fim, com a facilidade de juros baixos.

Empréstimo Aqui!

O que muda no Score?

O que muda no Score para o Score 2.0 é o peso de cada base usado para medir o risco. Com o a melhoria e o uso do Cadastro Positivo, o birô de crédito passou a ter mais informações de comportamento de pagamento das pessoas físicas, de acordo com os dados divulgados pela empresa aqui citada.

Veja os critérios de cálculos

Critérios de cálculo Score 1.0 Serasa Score 2.0
Dados positivos: cartão de crédito, consórcio, consignado, empréstimos e financiamentos. Comportamentos de pagamento, tempo dos contratos e tipos de contratos 26% 62%
Informações de dívidas, histórico de regularização e em aberto 57% 19%
Consultas para novos contratos de serviço ou crédito 17% 19%

Onde consultar o novo Score?

Quem está a fim de dar uma olhada no Score 2.0 precisa baixar o app do Serasa. Por enquanto, o novo cálculo só estará disponível pelo aplicativo. No site, a pessoa continua a ver sua nota anterior.

Logo, sua pontuação estará diferente nas duas plataformas. Mas isso deve ser normalizado em poucas semanas após esse post ir ao ar.

As empresas que consultarem seu CPF, como:

  • bancos
  • seguradores, já veem os resultados com base no Score 2.0, desde o dia 26 de maio.

Além disso, segundo o Serasa, uma novidade é que quem está com o placar acima de 701 pontos já é vista como ótimo pagador. Antes, para atingir essa categoria, era precisa ter score acima de 800.

Qual a classificação de risco?

Classificação de risco de tomador de crédito

Faixa de score Score antigo Score novo
Muito bom 800-1000 701-1000
Bom 600-800 501-700
Regular 400-600 301-500
Baixo 0-400 0-300

Quanto tempo a avaliação de Score calcula?

Está aí uma dúvida que muitas pessoas tem. Consumidores que ficam negativados, e acertam as contas saindo dessa situação demoram anos para recuperar parcialmente ou totalmente a nota de seu Score. E, isso ocorre exatamente por causa do tempo de histórico que é levado em consideração no momento da avaliação.

Já que ao todo são 15 anos de registro que ficam em contabilização para definir a nota. Contudo o histórico não é mais tão relevante, já que agora, com a mudança, mesmo que alguém tenha tido um mau momento no passado, os pagamentos que foram feitos em dia ao longo dos anos terão uma importância maior na hora de compor a nota.

Empréstimo com o Score baixo

Quem está com a pontuação abaixo da média tem maior dificuldade em conseguir produtos financeiros, como:

No entanto, dá sim pra pedir um empréstimo!

Há duas saídas nessas condições:

A primeira seria, tentar melhorar a nota, atualizando os dados cadastrais, mantendo as dívidas em dia. Porém, lembre-se que nenhuma técnica aumenta o Score magicamente, e promessas desse tipo normalmente são golpes.

A segunda saída é pedir um empréstimo de baixo valor, a ser pago em um curto período. Sendo assim, a pessoa consegue driblar os juros que ficam mais altos devido a condição de mal pagador. Faça já uma simulação de empréstimo pessoal e veja a melhor opção que cabe em seu bolso.

Dúvidas? Deixe nos comentários para nossa equipe!

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Mirela Alves

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.