Atenção! A Provu não solicita pagamento antecipado para a liberação do Provu Empréstimo Pessoal.

Passivo Circulante: o que é e como fazer o cálculo?

Publicado em 25 fev, 2023

Atualizado em 18 abr, 2023

1 min de leitura

Link Copiado!

Se você está pensando em abrir uma empresa, ou já abriu e quer entender melhor sobre os documentos e obrigações, já deve ter ouvido falar sobre passivo circulante.

Ele nada mais é do que o conjunto de obrigações a serem cumpridas e dívidas a serem quitadas pela sua empresa no curto prazo (menos de 12 meses).

Entre as obrigações, estão os empréstimos com vencimento curto, compras de matérias-primas, contas a pagar, gastos imprevistos, entre outros.

Já o ativo circulante - que também vamos falar daqui a pouco - é o conjunto de bens com maior liquidez dentro da sua empresa. Normalmente, é usado justamente para pagar o passivo circulante.

Inclusive, dividindo o ativo pelo passivo circulante, conseguimos ter o resultado de CCL: Capital Circulante Líquido.

Vamos nos aprofundar mais nos termos ao longo deste artigo, então continue aqui e confira!

O que é passivo circulante?

Você precisa ter em mente que tudo o que recebe o nome de “passivo” na sua empresa está relacionado com as suas obrigações financeiras e dívidas.

Assim como tudo o que é “ativo”, são os bens, lucros e rentabilidade do negócio. Ou seja, é o dinheiro que você tem, ou algo que possa ser transformado em dinheiro a curto, médio ou longo prazo.

O passivo circulante é qualquer dívida que precise ser quitada em no máximo 12 meses, podendo ser dividida em três frentes diferentes:

  • Cíclico: contas que são frequentes ou se repetem
  • Financeiro: contas relacionadas às movimentações de dinheiro feitas dentro da empresa
  • Operacional: contas relacionadas ao funcionamento dos negócios

Essa divisão do passivo circulante ajuda você a organizar melhor a área financeira da sua empresa, pois a visão fica muito mais clara e precisa do que impacta o cotidiano do negócio.

E o que é passivo não circulante?

O passivo não circulante é o conjunto de despesas e obrigações financeiras com prazo superior a 12 meses.

Alguns exemplos de passivo não circulante são:

Importante lembrar: duplicatas podem ser tanto passivos circulantes quanto não circulantes, dependendo dos seus prazos.

Principais diferenças entre passivo circulante e não circulante

Essencialmente, a principal diferença entre eles está nos prazos e nas taxas, como dissemos anteriormente, mas vamos entender melhor?

Passivo circulante = dívidas e obrigações que devem ser quitadas a curto prazo (um ano ou menos)

Passivo não circulante = dívidas e obrigações com vencimento a longo prazo (um ano ou mais)

Exemplos de passivo circulante

Alguns exemplos de passivo circulante são os impostos relacionados ao enquadramento tributário da sua empresa e encargos sociais de todos os seus funcionários, como:

  • Contas mensais (luz, água, telefone, internet, entre outras)
  • Férias e 13º salário
  • Adiantamento de salário
  • Obrigações com fornecedores
  • Juros
  • Aluguel
  • Variações monetárias ativas com vencimento em menos de 12 meses
  • Comissões ativas
  • Lucros a distribuir entre os sócios
  • Empréstimos feitos entre sócios
  • Obrigações com bancos e instituições financeiras a curto prazo

O ideal é conseguir pagar o passivo circulante com o ativo circulante, que também é dividido entre as mesmas três frentes (que te explicamos anteriormente). Ainda, quanto maior for o ativo e menor o passivo, melhor é a saúde financeira da sua empresa.

Como calcular o passivo circulante?

Para calcular o passivo circulante, a fórmula é bem simples:

Ativo Circulante + Passivo Circulante = Patrimônio Líquido

Você consegue entender, então, que a partir da soma de todos os ativos e, separadamente, de todos os passivos, você chega ao patrimônio líquido da sua empresa.

Através dele, você vai conseguir saber se teve retorno financeiro e quanto foi esse retorno.

Qual a importância do passivo circulante para empresas?

Os dados que você obtém com o passivo circulante são usados no plano de contas e no balanço patrimonial da empresa, dividido entre ativos e passivos, circulantes e não circulantes, como explicamos nos tópicos anteriores.

É com o passivo circulante que você consegue entender, de fato, a situação financeira do seu negócio. Ou seja, a importância é muito grande!

Com um balanço patrimonial adequado, é possível:

  • Fazer planos para o futuro
  • Tomar melhores decisões relacionadas a dinheiro, tanto operacionais como organizacionais
  • Monitorar mais de perto de onde vem e para onde vai o seu dinheiro
  • Dividir melhor os ganhos, principalmente se você tem mais de um sócio
  • Redesenhar o presente e uma nova estratégia financeira

Conclusão

Esperamos que o nosso artigo tenha sido esclarecedor para você!

Caso esteja com alguma dúvida, comente abaixo, vamos adorar conversar sobre esse e outros assuntos.

O que podemos concluir do passivo circulante, é que ele é fundamental para você entender os lucros da sua empresa. O melhor a se fazer, caso você não seja contador, é contratar um profissional da contabilidade para evitar erros e obter resultados com mais clareza.

É importante saber a base dos cálculos, mas para garantir os resultados com mais assertividade, é melhor passar a função de analisar a área financeira para um profissional.

E caso você esteja interessado em alavancar suas vendas, que tal conhecer a nossa solução de Provu Boleto Parcelado para lojistas? O seu cliente pode comprar sem comprometer o limite do cartão de crédito. É tudo muito fácil.


Se você não tem uma empresa, mas se interessou por isso, aproveita para dar uma olhada em como você pode usar o Provu Boleto Parcelado para comprar

Continue acompanhando o nosso Blog para mais dicas e informações sobre o mundo financeiro!

Escrito por: Pri da Provu

Meu nome é PRI, e eu sou a nova assistente virtual da Provu! Aqui no blog da Provu e nas nossas redes sociais eu vou falar dos mais variados assuntos, e através do WhatsApp, Chat do site e telefone da Provu, eu vou: 👉 Ajudar a baixar o boleto das parcelas do Provu Empréstimo e Provu Boleto Parcelado 👉 Dar suporte no refinanciamento do seu contrato do Provu Empréstimo 👉 Esclarecer tudo que você precisa saber sobre o Provu Empréstimo e Provu Boleto Parcelado 👉 Dar suporte em negociações; E muito mais! Quer me conhecer mais? Acesse o Blog da Provu. E se quiser bater um papo comigo, é só acessar nosso WhatsApp, chat do site ou telefone!

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Prove realizar organização financeira!

Insira seu e-mail para receber as melhores dicas para o seu bolso:

Associações

abcd-logo

Prêmios

premio-cliente-sa

Selos

selo-empresa-neutra-de-carbono

Parceiros de Cobrança

kitei-logomhFlores-logoserasa-logo

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 4,45% a.m. (68,62% a.a.) até 11% a.m. (249,85% a.a.), e o CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 4,79% a.m. (76,78% a.a.) até 11,37% a.m. (270,87% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 9, 12, 18, 24 ou 36 meses.

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 4,45% a.m.; 68,62% a.a.; CET 75,53% a.a.; parcelas: R$ 757,37; IOF: R$ 206,42; valor total: R$ 13.632,57. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.