TED devolvida: entenda o que é e as razões

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

TED devolvida: entenda o que é e as razões

Por Provu

6 Minutos

Publicado em 18 jan, 2022

Atualizado em 18 jan, 2022

6 min de leitura

Link Copiado!

As operações bancárias fazem parte do nosso dia a dia e, com os avanços da tecnologia, o acesso às transições ficaram ainda mais simples, já que é possível completar transferências, por exemplo, com apenas alguns cliques. 

Em algum momento, pode ser que alguma transação que você fez para alguém tenha sido devolvida e existem diversos motivos para que isso aconteça. 

Pensando nisso, preparamos este artigo para que você saiba o que pode ter acontecido ou apenas para não errar na hora de realizar uma Transferência Eletrônica Disponível (TED). 

O que é TED?

Antes de mais nada, a TED, ou Transferência Eletrônica Disponível, é um tipo de transação financeira que pode ser realizada de um banco para outro. 

Esse tipo de operação é prática e segura, isso porque ela faz parte de um meio totalmente eletrônico e automático. Além disso, ao concluir o seu TED, você recebe um comprovante com as informações da transação realizada com os dados de:

  • Data;
  • Hora;
  • Valor;
  • Nome do remetente;
  • Dados da conta destinatária.

Dessa maneira, diferente do DOC (Documento de Ordem de Crédito) que possui um valor máximo de até R$ 4.999,99 para transferência, a TED permite transações acima de R$ 5 mil e não tem um valor mínimo. 

Outra diferença é que a DOC só é recebida pelo destinatário um dia útil após realizar a transação ou em até dois dias úteis, caso seja enviado em um fim de semana, feriado ou após às 22h. 

Por outro lado, a TED é recebida no mesmo dia se enviada até as 17h, caso contrário, é recebida no próximo dia útil. 

O que significa TED devolvida?

Assim como o próprio nome diz, uma TED devolvida acontece quando a instituição financeira, por algum motivo, não consegue concluir a transação e entregar o valor ao destinatário. 

A seguir, você confere possíveis razões do que pode ter acontecido para a falha de sua operação de TED, confira:

Dados incorretos

Primordialmente, este é um dos erros mais comuns na hora de emitir uma TED. 

Ao digitar os dados do destinatário, pode ser que um número ou outro dado importante esteja faltando (ou a mais). 

Isso acontece porque o preenchimento é de total responsabilidade do remetente, o que pode acabar causando alguma confusão por ele não estar habituado com aqueles dados. 

Por isso, é muito importante fornecer todos os dados do destinatário com exatidão para que a transferência seja realizada com sucesso. Neste caso, a inconsistência de dados é verificada e a transação devolvida automaticamente pelo sistema. 

Conta destinatária bloqueada ou encerrada

É muito importante validar se a conta de destino está recebendo transferências ou se está bloqueada ou encerrada. Isso porque, caso a conta destinada a receber a transferência esteja com esse tipo de problema, a TED será devolvida à conta remetente. 

Conta com limite de movimentação

Igualmente, pode ser que em algum momento ou que até mesmo o seu próprio banco tenha configurado a sua conta para movimentar até determinado valor por dia. 

Por isso, este também é um dos motivos pelo qual você pode ter uma TED devolvida. Como resultado, é válido entrar em contato com a sua instituição financeira para você entender as regras e conseguir a liberação de um valor maior para a transferência. 

Erro operacional ou de sistema

Em situações de erro operacional ou de sistema, o banco remetente da TED pode solicitar a devolução do valor. Existem alguns motivos que permitem que o banco solicite a devolução da TED, como o envio de uma transferência em duplicidade ou com valor incorreto, por exemplo. 

Dessa maneira, o banco emissor entrará em contato com a instituição de destino e solicitará que a TED seja devolvida. Para que a devolução seja feita, o titular da conta que teve o valor creditado deve autorizar a operação de devolução. 

Indício de fraude 

Por fim, quando o banco entende que há um indício de fraude, é possível que o mesmo bloqueie o valor disponível na conta de quem recebeu. Assim, tal ação é feita mediante o recebimento de uma carta formal da instituição financeira emissora da operação, na qual a mesma se responsabiliza por qualquer notificação em relação ao bloqueio. 

Principais de códigos de erro para TED devolvida

Em conclusão, o Banco Central afirma que, em caso de devolução da transferência por TED ou até mesmo DOC, a instituição financeira remetente deve colocar o valor à disposição do cliente remetente no dia da liquidação e informar na mesma hora. 

Do mesmo modo, ao realizar a devolução do dinheiro, o banco fornece um código de motivo da devolução, o que pode ajudar você a identificar o que aconteceu com sua TED. Confira a lista: 

01 Conta do destinatário do crédito encerrada.
02 Agência ou conta destinatária errada.
03  Ausência ou divergência na indicação do CPF ou CNPJ.
04 Mensagem inválida para o tipo de transação ou finalidade.
05 Divergência de titularidade.
06 Transferência recusada pelo banco destinatário.
07 Conta de destino temporariamente bloqueada por procedimento de segurança.
08 O Banco de destino recusou a transferência devido à titularidade da conta de origem (isso acontece quando o dono da conta de origem está na bloqueado na instituição de destino).
09 Transação recusada pelo banco de origem.
10 Erro sistêmico na câmara de compensação de transferência (refazer transferência).
11 A conta de destino não recebe transferência de contas de diferentes titularidades.
12 A moeda enviada inválida (ex: correntista enviou Dólar para uma conta que só recebe em Real).

A taxa cobrada pela TED é devolvida?

Ainda que o banco tenha cancelado a TED, ele precisou operar a transferência. Sendo assim, não se realiza a devolução da taxa cobrada pela transação, pois houve a movimentação do dinheiro. 

Contudo, caso o problema seja do sistema bancário, é possível solicitar o resgate da taxa de transferência ao entrar em contato com a instituição financeira.

Agora que você já entendeu os principais motivos para que uma TED seja devolvida, compartilhe este conteúdo com mais alguém que esteja com dúvidas. Aproveite para continuar navegando no Blog da Provu e conhecer mais sobre o mercado de finanças!

Escrito por: Provu

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.