Passo a passo para criar um planejamento financeiro eficiente

Atenção! A Provu não solicita depósito antecipado ou PIX para a liberação do empréstimo. Isso é crime.

Passo a passo para criar um planejamento financeiro eficiente

Por Mirela Alves

9 min de leitura

Publicado em 31 ago, 2021

Atualizado em 29 jun, 2022

9 min de leitura

Link Copiado!

Um bom planejamento financeiro pessoal te ajuda a alcançar seus objetivos, melhorar sua saúde financeira e a distribuir melhor sua renda fazendo investimentos, por exemplo.

De acordo com uma pesquisa do SPC Brasil, 46% dos brasileiros não controlam seu orçamento. Porém, na maioria das vezes esse tipo de atitude leva ao descontrole financeiro e ao endividamento.

Nesse sentido, para melhorar de vida, investir, ganhar mais dinheiro e até mesmo buscar outras fontes de renda, é essencial criar um planejamento financeiro e organizar suas finanças de uma vez por todas.

Afinal, com essa ferramenta você consegue ter mais controle sobre seu dinheiro, mesmo que as contas estejam apertadas.

Neste post, você vai conferir 7 dicas que irão alavancar seu planejamento financeiro e te ajudar a dar muitos passos em direção a suas metas pessoais.

Continue com a gente!

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é um tipo de organização financeira baseada no diagnóstico atual das suas finanças, cujo propósito é melhorar a qualidade de vida de uma só pessoa ou da família.

Por meio dele, você consegue traçar objetivos e estratégias para alcançá-los, porque irá controlar melhor seus ganhos e gastos.

Ou seja, ele será basicamente um registro de sua vida financeira.

Assim, sua principal tarefa será anotar todas as suas movimentações financeiras, entendendo quais são seus principais gastos, quais são de fato necessários, quais podem ser cortados, quanto de dinheiro é possível economizar e assim por diante.

E embora para fazer um planejamento financeiro pessoal você precise de bastante disciplina, o importante é começar!

Por exemplo: se você não controla quanto ganha e gasta, é provável que você não saiba a quantia que consegue guardar em um determinado período, e é justamente essa falta de informação que acaba dificultando os seus planos para o futuro. 

Qual a importância do planejamento financeiro?

Um dos primeiros pontos que podemos citar sobre a importância do planejamento financeiro é o controle do orçamento. Com ele em mãos, ficará muito mais fácil tomar decisões de compra, investimentos e até poupar dinheiro. 

Além disso, o controle dos gastos ainda fará com que você economize, além de poder lidar melhor com os imprevistos e realizar seus sonhos de forma mais rápida.

Isso tudo porque você irá conseguir gerir de forma mais inteligente e embasada o seu patrimônio.

Outro ponto importante é que você poderá avaliar e eliminar os gastos desnecessários do dia a dia, como um pacote de TV a cabo que você não usa, serviços de assinatura que estão parados ou até ser mais consciente com suas contas de energia e água. 

7 passos para fazer um planejamento financeiro eficiente

Antes de mais nada, é importante mencionar que o planejamento financeiro é uma ação recorrente. Ou seja, você sempre precisará ficar de olho no seu dinheiro para usá-lo da melhor forma possível.

Uma ótima primeira dica é ter o controle efetivo dos gastos, sem achar que o cartão de crédito é dinheiro sobrando e entendendo no que realmente é necessário gastar ou não.

Confira agora 7 passos para fazer um planejamento financeiro eficiente e conquistar uma ótima relação com seu dinheiro:

1. Entenda quais são seus objetivos e crie metas

Quais são seus objetivos de vida? Que viagens gostaria de fazer? Deseja comprar um carro melhor? Uma casa?

Entender quais são seus objetivos e o que te fará bem é o primeiro passo para começar seu planejamento.

Isso porque, ao saber o que realmente faz sentido para você, fica mais fácil se determinar a alcançar o ponto desejado.

Depois de traçar seus objetivos, é essencial dividi-los em metas financeiras de curto, médio e longo prazo.

Por exemplo, suponhamos que você queira fazer uma viagem daqui a 3 anos cujos gastos estimados fiquem em R$ 10.000. Essa pode ser sua meta de longo prazo.

Dessa forma, você pode estipular que, em 6 meses, deseja ter pelo menos R$ 1.500 guardados. Então, essa será sua meta de médio prazo.

Por fim, para economizar R$ 1.500 em 6 meses, você pode dividir esse valor por 6 e, para alcançá-lo, se programar para poupar, pelo menos, R$ 58 por semana, o que será sua meta de curto prazo.

Um ponto importante aqui é não se esquecer de estabelecer datas. Assim, você não se perde em suas metas e, ao final da data estabelecida, pode saber se obteve sucesso ou não.

E caso não tenha conseguido alcançar o que se propôs, não se preocupe! Apenas ao se organizar você já deu um passo importante, e poderá ajustar sua estratégia sempre que quiser.

2. Anote todas as suas contas, despesas e ganhos

Você sabe quanto gasta por mês com despesas básicas, lazer, educação e aluguel? Costuma estipular um limite para cada uma delas? 

O segundo passo para fazer um planejamento financeiro eficiente é anotar todas as suas despesas e ganhos.

E aí, você pode usar aquilo que mais te agrada… Seja em um caderno, em uma planilha do excel ou em um aplicativo de celular, o importante é anotar suas movimentações financeiras, até mesmo aquele cafézinho na padaria.

Feito isso, você consegue comparar seus gastos com seus ganhos e começar a se planejar para poupar dinheiro, por exemplo.

Na hora de anotar, separar as despesas por categorias como alimentação, aluguel, automóvel, bens de consumo, entre outros, essa atitude também ajuda bastante na organização.

3. Defina quais serão seus limites para cada gasto

Quanto você pode gastar em cada categoria de despesa?

Aqui, vale definir um limite pré-estabelecido baseado no quanto você já gasta mensalmente com cada categoria. 

Isso ajuda a controlar gastos extras desnecessários e te ajuda a planejar seu mês com mais cuidado. 

Além do mais, essa é uma ótima chance para definir quanto de dinheiro você irá poupar mensalmente, por exemplo.

4. Elimine gastos desnecessários

Quantos serviços de assinatura seus estão parados? Você costuma almoçar muito fora de casa? É do tipo que não pode ver uma promoção?

Depois de mapear e definir limites para todos os seus gastos, você terá uma visão muito mais clara sobre todas as coisas nas quais você emprega seu dinheiro. 

Nesse sentido, fica muito mais simples de entender os gastos desnecessários e eliminá-los para auxiliar ainda mais no seu controle financeiro. 

Assim, você pode cancelar serviços que não utiliza, negociar assinaturas, cortar outros custos e garantir uma boa economia todos os meses.

5. Aprenda sobre educação financeira

Educar-se financeiramente significa buscar conteúdos sobre o assunto e colocar em prática tudo o que você aprender. 

Discutir com amigos e familiares também é uma ótima forma de fazer com que os tópicos se encaixem melhor na sua cabeça. 

Nessa parte, você pode assistir vídeos, ler os conteúdos aqui do blog da Provu, além de ler livros sobre planejamento financeiro pessoal, veja só alguns que nós recomendamos: 

  • Como organizar sua vida financeira – Gustavo Cerbasi;
  • Planejamento financeiro pessoal e gestão do patrimônio: fundamentos e práticas – Almir Ferreira de Souza;
  • Me Poupe – Nathalia Arcuri;
  • Pai Rico Pai Pobre – Robert Kiyosaki e Sharon L. Lechter;
  • Gestão financeira familiar: como as empresas fazem – Jocildo Figueiredo e Érick Veras Marques.

6. Cuide de seu dinheiro 

Outra etapa importante para organizar seu planejamento financeiro é cuidar do seu dinheiro.

Isso significa estar atento a tarifas abusivas dos bancos, perda de valor devido à inflação e outros gastos que precisam ser monitorados.

Uma boa dica é começar a aprender sobre investimentos. Dessa forma, você coloca seu dinheiro para render enquanto cria uma boa reserva financeira.

7. Aprenda a poupar e investir

Você investe ou já investiu? Costuma deixar o dinheiro guardado parado em sua casa ou na conta corrente do banco?

Poupar é um ótimo passo para controlar suas finanças e ter mais tranquilidade em todos os aspectos de sua vida. Afinal, sem a preocupação constante com o dinheiro, as coisas irão fluir melhor e você terá mais qualidade de vida.

Porém, apenas poupar não é o bastante, pois o dinheiro parado perde valor naturalmente com a inflação. 

Por isso, aprenda sobre renda fixa e renda variável, conheça seu perfil de investidor e coloque o dinheiro para trabalhar por você em um ativo que renderá bons frutos ao longo do tempo.

Quer aprender mais sobre investimentos? No nosso blog temos uma sessão especial para esse assunto! Confira agora clicando aqui.

Como saber se está dando certo?

Se você está economizando e percebendo que no final do mês consegue guardar mais dinheiro que no mês anterior, seu planejamento financeiro está dando certo. 

Assim, se você conseguir entender a mudança em seu estilo de vida e ver que já economiza de forma automática, está trilhando um ótimo caminho. 

Planejamento financeiro pessoal e familiar: qual a diferença?

Assim como o próprio nome diz, no planejamento financeiro familiar, é necessário envolver os ganhos e gastos de todas as pessoas da família. 

Por outro lado, se as despesas pagas mensalmente se referem somente a você, então seu planejamento financeiro é pessoal. 

Dessa forma, se você mora com outras pessoas, é importante reunir os membros para somar os ganhos e despesas de todos

O passo a passo é o mesmo do planejamento financeiro pessoal, mas é indicado considerar também provisões para uma reserva, já que a possibilidade de situações inesperadas acontecerem pode ser maior quando envolve mais pessoas.

Agora que você já entendeu a importância de ter um planejamento financeiro e como fazê-lo, é hora de colocar a “mão na massa” para lidar melhor com o seu dinheiro e conquistar mais saúde financeira.

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de compartilhá-lo com seus amigos!

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Escrito por: Mirela Alves

Sem comentários ...

Fazer um comentário:

Conteúdos relacionados
Educação Financeira
Teste: como está sua saúde financeira?

A equipe da Provu preparou um teste para você saber como anda sua saúde financeira e se você precisa p...

27 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Previdência Social: entenda o que é e como funciona

Você já deve ter ouvido idosos falar sobre previdência social. Mas afinal, do que se trata este termo ...

21 abr, 2022
Ler artigo
Educação Financeira
Renda extra: o que é e como ganhar em 2022?

Renda extra é o assunto do momento, e nada melhor do que começar o ano ganhando mais dinheiro, não é m...

14 abr, 2022
Ler artigo
s

A provu.com.br pertence à PROVU, CNPJ: 20.265.259/0001-71, com sede na Rua Pais Leme, 524 – Pinheiros, São Paulo – SP, Brasil – CEP: 05424-010.

 

A Provu não é uma instituição financeira, mas sim um prestador de serviços correspondente bancário nos termos do artigo 2º, da Resolução CMN nº 3.954, de 24 de fevereiro de 2011 atuando para as instituições financeiras: SOROCRED CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S/A – CNPJ: 04.814.563/0001-74 e PROVU SOCIEDADE DE CRÉDITO DIRETO S.A – CNPJ Nº 42.627.615/0001-92.

 

Informações gerais sobre as operações de crédito ofertadas: a taxa de juros para empréstimo pessoal varia de 1,99% a 10,95% ao mês. O CET (Custo Efetivo Total) pode variar de 2,39% a.m. (32,77% a.a.) a 11,17% a.m. (256,33% a.a.), dependendo da análise de crédito do cliente e do prazo de pagamento, que pode ser de 12,18, 24, 30 ou 36 meses.

 

Exemplo: valor: R$ 9.000,00; prazo: 18 meses; taxa de juros: 3,52% a.m.; 51,52% a.a.; CET 58,35% a.a.; parcelas: R$ 702,09; IOF: R$ 242,13; valor total: R$ 12.637,62. Estes valores são exemplificativos e poderão variar de acordo com a política de crédito.